Arquivos da categoria: Sem categoria

Maravilha: aspirador limpa a casa sozinho (até os cantinhos) e aceita comandos de voz

É o sonho de todo mundo que tem q limpar a casa: ter um aspirador que funcione sozinho. Aí você vai me dizer: “eles já existem”. Mas os que estão à venda atualmente não limpam direito, não alcançam os cantinhos e não mapeiam o ambiente (andam em círculos e batem nos móveis). Isso até agora. Na CES, maior feira de eletrônicos de consumo do mundo, que ocorre de 5 a 8 de janeiro em Las Vegas, nos EUA, a Samsung apresentou um aspirador que faz tudo isso. Gostou da limpeza? Só ainda não tem preço e nem se será vendido no Brasil. Quer saber mais sobre novidades em tecnologia?

Encontro amistoso e civilizado dos poderes em barzinho de Natal

rf-csEnquanto o pau está cantando em Brasília, o clima aqui no RN é de muita paz.

Agora à noite, o soldado Vasco encontrou e fotografou uma resenha do presidente do TJRN, desembargador Cláudio Santos e o governador Robinson Faria na Comissão da Praça..

Cláudio Santos querendo passar R$ 100 milhões para o Governo do Estado e Robinson louco para receber.

Peruando a conversa o primo Moacir Potiguar, Paulo Coelho e o jornalista Alex Medeiros, amanhã seu blog deverá ter muitas informações. O velho da cabeça branca não deu para identificar..

Maldade e falsificação de print para prejudicar o motorista liso da ambulância de Jucurutu

Adversários do candidato a prefeito de Jucurutu estão apelando para falsificação de mensagens no WhatsApp para confundir o eleitorado que pretende votar no motorista da ambulância e seu vice, o gari José Pedro.

Partidários do candidato Valdir da Ambulância estão denunciando que falsificaram um print de uma falsa conversa do candidato a vereador Célio Alves, ligado ao candidato da oposição, revelando que o vereador e o candidato estariam engando o povo e fazendo negociata com secretarias do município.

A montagem da conversa no WhatsApp foi compartilhada por um menor de idade que tem noções de design, segundo informações que o Blog do Primo recebeu de seus informantes de Jucurutu.

O caso já está sendo investigado pela Polícia Federal.

Confira o teor da falsa conversa e a montagem do print falsificado: liso 1

 

 

TCE retira nome da prima Shirley Targino da lista de Ficha Suja

Shirley Targino , ex-prefeita de Messias Targino

Prima Shirley Targino que estava injustamente relacionada na lista dos fichas sujas do TCE/RN, teve seu nome devidamente retirado. Portanto, ela poderá, se quiser, disputar eleição.

“CERTIFICO, em razão do meu ofício e para os fins que se fizerem necessários, a requerimento de Francisca Shirley Ferreira Targino, CPF No 49129970482, que os arquivos desta corte de contas não apresentam registros de decisão condenatória transitada em julgado com débitos pendentes em nome do(a) solicitante(a), até a presente data”, afirma o documento assinado por Eduardo Felipe Borges Carneiro Costa, Diretor de Atos e Execuções do TCE.

Deputado saco preto Rogério Marinho indicou ‘ficha suja do TCE’, para o IBAMA e o governo Temer nomeou

Deputado saco preto Rogério Marinho, também com muitos processos, e seu afilhado Clécio Santos que está na lista do TCE como ficha suja.

O governo Temer é uma graça, depois que ele assumiu depois do afastamento da presidente Dilma, as nomeações políticas começaram a pipocar nos quatros cantos do país.

Aqui no RN, a festa é grande, cada um deputado federal que indique seus afilhados no segundo e terceiro escalão.

O deputado saco preto, conseguiu a proeza de indicar para Superintendência do IBAMA no RN o senhor Clécio Santos, incluído na relação dos Fichas Sujas do Tribunal de Contas do RN e réu na Justiça acusado nos processos:

0001312-28.2004.8.20.0102 (102.04.001312-0) Ação Popular / Violação aos Princípios Administrativos;

0031519-80.2008.8.20.0001 (001.08.031519-5) Ação Civil de Improbidade Administrativa / Dano ao Erário;
0022196-22.2006.8.20.0001 (001.06.022196-9) Ação Civil de Improbidade Administrativa / Enriquecimento ilícito.

No Tribunal de Contas do RN tanto ele como o filho estão fichados.

doe

O gordão comilão e seus desembargadores

O soldado Vasco esteve ontem, sábado 04, num restaurante em João Pessoa, ao seu lado uma mesa composta por dois casais e um careca.

Na mesa ao lado, onde o soldado Vasco degustava um pato ao molho espagnole com um legitimo syrah francês, um gordão comilão falava alto dizendo que mandava em seis desembargadores do TJRN.

O gordão comilão dizia para seus acompanhantes que enquanto ele fosse vivo pessoas ligadas ao finado Agnelo Alves não teriam problemas com o judiciário potiguar.

O nome do gordão comilão o soldado Vasco não descobriu, mas o nome da senhora que acompanhava ele é Maria – tudo que o gordão comilão dizia perguntava: não é verdade Maria? E ela respondia: é morzão!

Equipe do secretário ‘Lampião’ descobre túnel e aborta fuga em Alcaçuz

walber
Secretário Walber Virgulino – O Lampião

A equipe do secretário, Walber Virgulino, composta por  agentes do Grupo de Operações Especiaisv sa Secretaria de Justiça e Cidanania, descobriram um túnel na tarde de ontem, quinta-feira (2) sob o piso do pavilhão 3 da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, no município de Nísia Floresta, na Grande Natal.

A escavação foi encontrada graças a intervenção que aconteceu em todos os pavilhões da unidade.

Segundo o GOE, os apenados foram retirados das celas e ficaram no pátio da penitenciária. Informações dão conta que o túnel estava avançado sob risco iminente de fuga. Felizmente encontrada,  a escavação foi concretada.

Depois que paraibano Lampião chegou não ocorreram mais fugas do Sistema Prisional do RN.

 

Misericórdia: cinco ministros de Temer administram contratos de seus doadores de campanha

Helder Barbalho, aqui no RN com seus amigos Henrique Alves e Garibaldi Alves.

Por Fernando Rodrigues

 

Pelo menos 5 ministros do governo Michel Temer serão responsáveis por contratos de empresas que doaram para suas campanhas eleitorais. As empresas têm contratos com os ministérios agora chefiados pelos políticos.

São eles os ministros Maurício Quintella Lessa (Transportes), Raul Jungmann(Defesa), Mendonça Filho (Educação), Helder Barbalho, (Integração Nacional) eBruno Araújo (Cidades).

Nas Cidades, os contratos são do Minha Casa, Minha Vida, supervisionados pelo Ministério e custeados pela Caixa Econômica Federal.

As informações são dos repórteres do UOL Victor GomesAndré Shalders.

Todos os dados utilizados nesta reportagem são públicos e podem ser conferidos por meio do Portal da Transparência (gastos dos ministérios) e do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais de 2014 (para as doações de campanha).

TRANSPORTES
No Ministério dos Transportes, 3 empreiteiras doaram em 2014 ao então candidato a deputado federal Maurício Quintella Lessa (PR-AL). Em entrevista ao Blog, Quintella elencou como prioridade de sua gestão a duplicação do trecho da BR 101 que liga Alagoas a Pernambuco. A obra é tocada pela OAS, que doou R$ 350 mil à campanha dele, por meio da direção nacional do PR.

No total, a OAS e as empreiteiras Barbosa Mello e Sanches Tripoloni despejaram R$ 600 mil na campanha de Quintella. O dinheiro irrigou as contas do candidato via Direção Nacional do PR. Em 2016, as 3 empresas já receberam R$ 145,14 milhões em contratos com a Valec e o Dnit, subordinados aos Transportes.

Embora possa existir no momento algum conflito de interesses, não há irregularidade nas situações envolvendo Quintella e os demais políticos. As doações e os contratos foram feitos antes de os então candidatos tornarem-se ministros.

INTEGRAÇÃO NACIONAL
O atual titular da pasta, Helder Barbalho, recebeu R$ 530 mil da Queiroz Galvão em 2014. Naquele ano, ele concorreu ao cargo de governador do Pará. Perdeu a disputa. A doação foi feita para a Direção Nacional do PMDB. Hoje, Helder comanda o ministério responsável pela transposição do rio São Francisco, um dos principais projetos da construtora.

Só neste ano a Queiroz Galvão já recebeu R$ 21,14 milhões para tocar as obras do megaprojeto hídrico.

Ao longo da semana passada, Helder teve encontros com representantes das empresas responsáveis pela transposição. O ministro anunciou que ampliará os recursos para o projeto, de R$ 150 milhões mensais para R$ 215 milhões, em média. A obra é prioritária para o governo de Michel Temer e o objetivo é que parte dela seja entregue até dezembro deste ano.

DEFESA
Raul Jungmann (PPS-PE) é hoje o titular da Defesa. Em 2016, a Odebrecht já recebeu R$ 278 milhões para tocar o programa de desenvolvimento do submarino nuclear brasileiro. A pasta também possui contratos menores com outras 8 subsidiárias da empreiteira.

Em 2014, a Odebrecht doou R$ 384 mil à campanha de Jungmann à Câmara, uma parte diretamente e outra por meio da direção estadual do PPS.

CIDADES
Bruno Araújo (PSDB-PE), hoje ministro das Cidades, recebeu R$ 710 mil de 4 empreiteiras para sua campanha à Câmara em 2014. São elas: Odebrecht (R$ 130 mil), Queiroz Galvão (R$ 80 mil), Ética Construtora (R$ 300 mil) e Sanches Tripoloni (R$ 200 mil).

Com exceção da Ética Construtora, as demais participam ou participaram de contratos do Minha Casa Minha Vida, programa de moradias populares subsidiadas pelo governo federal.

As construtoras não mantêm contratos diretos com o Ministério das Cidades, mas a pasta é responsável pela supervisão e pela gestão do programa. Os pagamentos são feitos pela Caixa Econômica Federal.

EDUCAÇÃO
O atual titular do ministério é o deputado federal Mendonça Filho (DEM-PE). Em 2014, ele recebeu R$ 100 mil do frigorífico JBS para sua campanha à Câmara. Só neste ano, a empresa ganhou R$ 123 mil em um contrato com a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), ligada ao MEC.

OUTROS LADOS
Todos os ministérios e políticos citados na reportagem foram procurados pelo Blog.

A assessoria do Ministério dos Transportes informou que as doações feitas por empresas eram legalmente permitidas na época da campanha do deputado Maurício Quintella e que suas contas foram aprovadas pela Justiça Eleitoral.

A assessoria do Ministério das Cidades disse por telefone que as doações aos então candidatos a deputado foram feitas dentro da lei e são anteriores à posse de Araújo como ministro.

As assessorias do MEC, do Ministério da Integração Nacional e do Ministério da Defesa enviaram notas. Eis as íntegras:

Ministério da Integração:
1) O contrato do Ministério da Integração Nacional com a Construtora Queiroz Galvão foi fechado em 27/9/2013 e prevê a execução das obras civis e eletromecânicas complementares da Meta 3N do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco. O valor é de R$ 612,255 milhões com vigência até 30 de outubro de 2016.

2) Na época de sua contratação, Helder Barbalho nem havia sido referendado como candidato do PMDB ao governo do Estado do Pará.

3) Além disso, Helder Barbalho só é nomeado ministro de Estado, primeiramente da Pesca e Aquicultura e depois de Portos em 2015. Sua posse no Ministério da Integração Nacional só ocorre em abril de 2016.

4) Importante ressaltar ainda que todas as doações foram feitas respeitando a legislação eleitoral. Foram devidamente registradas e as contas foram integralmente aprovadas pela Justiça Eleitoral. Todas as informações são públicas e estão disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral.

Ministério da Defesa:
É importante ressaltar que os contratos do Ministério da Defesa com a Construtora Norberto Odebrechet S.A. foram firmados em data anterior a posse de Raul Jungmann como ministro da Defesa. Por isso, é incorreto associar qualquer informação de campanha aos contratos com a Pasta.

No que tange os questionamentos sobre contratos, os pagamentos efetuados pela Coordenadoria-Geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino com Propulsão Nuclear (COGESN), da Marinha do Brasil, à Construtora Norberto Odebrechet S.A. referem-se à implantação de estaleiro e base naval para construção e manutenção de submarinos convencionais e nucleares, dentro do contexto do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub).

Com relação às despesas realizadas pela Capitania Fluvial do Araguaia-Tocantins (CFAT) e pelo Centro de Intendência da Marinha em Rio Grande (CeIMRG), as mesmas referem-se a contas mensais de água e esgoto daquelas Organizações Militares (OM) e das OM por elas apoiadas, cujos pagamentos foram efetuados, respectivamente, às concessionárias “Companhia de Saneamento do Tocantins – Odebrecht Ambiental Saneatins” e “Odebrecht Ambiental Uruguaiana”, as quais integram o Grupo “Odebrecht Ambiental”.

De mesma forma, os valores especificados para o 4º Batalhão de Engenharia de Construção (R$ 7.316,93); para o 22º Batalhão de Infantaria (R$ 15 mil); para o 22º Grupo de Artilharia de Campo Autopropulsado (R$ 1,5 mil); para o 8º Regimento de Cavalaria Mecanizado (R$ 1 mil); para a 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada (R$ 8,6 mil); para o 41º Batalhão de Infantaria Motorizada (R$ 19 mil), referem-se a pagamentos de concessionárias de água e esgoto. Como dito anteriormente, as Organizações Militares realizaram esses pagamentos em virtude das concessionárias pertencerem ao Grupo Odebrecht.

Ministério da Educação:
A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) possui autonomia administrativa, financeira e pedagógica, garantida pela Constituição Federal. Dessa forma, tem autonomia para firmar contratos nesse montante, independentemente de autorização do MEC.  Assim, sugerimos contato com a instituição, uma vez que cabe à própria UFSCar fornecer as informações sobre seus contratos.

 

Wilma pode ser uma candidata marsupial

Depois de governar Natal por três mandatos de prefeita, a ex-governadora Wilma de Faria que atualmente é vice-prefeita de Natal, resolveu continuar com seu projeto político familiar.

Como uma mamãe canguru, que carrega seus filhos numa bolsa, Wilma quer eleger sua filha Márcia Maia prefeita de Natal.

Wilma deverá ser candidata a vereadora pelo PT do B e teria filiado em seu novo partido um neto que também poderá ser candidato a vereador para se eleger com sobras dos votos de legenda da vovó.

Os marsupiais são animais mamíferos que a fêmea criam seus filhotes numa bolsa abdominal, conhecida como marsúpio, onde se processa grande parte do desenvolvimento dos filhotes. Aqui na política potiguar está cheio dessa especie.

Em Caicó tem uma ‘batata quente’ nas mãos dos caciques das bandeiras verde e vermelha

 

Por Renato Dantas

Primo Batata está alegre com aceitação da sua pré-candidatura.

Os caciques políticos de Caicó estão com uma batata quente nas mãos. As tradicionais lideranças estão com muitas dificuldades de encontrarem candidatos a prefeito e o atual prefeito Roberto Germano está completamente desgastado.

O deputado Álvaro Dias do PMDB não tem outro caminho a não ser apoiar à candidatura a reeleição de Roberto Germano por uma questão partidária. O deputado Vivaldo Costa não conseguiu convencer seu irmão Bibi Costa ser candidato e todo dia inventa uma candidatura.

A menina Francielle perdeu a humildade e coerência política caindo na vala comum, deixou de ser o novo por que adotou o mesmo comportamento dos velhos caciques.

Cição Bandido que foi o candidato a deputado federal mais votado em Caicó, representou apenas um momento da insatisfação dos caicoenses com a falta de candidatos naturais de Caicó, o povo não quis votar em forasteiros.

No meio dessa situação, quem tem aparecido bem é o radialista e vereador Robson Araújo (Batata). Simpático, ótimo comunicador, apresentador do programa de maior audiência na região do Seridó, inteligente, manhoso e caviloso, Batata caiu no gosto do povão.

O soldado Vasco que conversou com o bacurau da cabeça branca e disse que o primo Batata está de melé solto.

Batata comanda o PSDB em Caicó, portanto, pode ser candidato sem pedir favor a ninguém.

O vereador radialista da Rádio Rural virou uma batata quente nas mãos do caciques. Ele só tem que ter cuidado com o deputado saco preto.

Recusa de Renan vai ao Supremo. E agora, provavelmente, a Luiz Roberto Barroso

Brasília -  Os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), Roberto Barroso e Dias Toffoli, durante sessão extraordinária para encerramento do Ano Judiciário (Marcelo Camargo/Agência Brasil)por Fernando Brito, no Tijolaço

Ninguém duvida que, ainda hoje, o Supremo vai receber o questionamento sobre o atropelo da decisão da presidência da Câmara Federal  anulando e remarcando a votação da admissibilidade do impeachment de Dilma Rousseff.

Não no mérito, que pode ser e será objeto de decisão interna corporis da Câmara, sem grandes possibilidades de mudança.

Mas no desconhecimento de fato objetivo em que a presidência de uma Casa legislativa declara a nulidade do ato que se transportara à decisão do Senado.

O Supremo tem, dependendo do relator que venha a ser sorteado ao caso – ou especificamente a Luís Roberto Barroso, no caso de ser considerado prevento, por ter sido relator do “roteiro do impeachment”  –  de interferir apenas em matéria de rito, sem entrar no mérito da decisão do Legislativo.

Renan Calheiros, além de desrespeitoso com a instituição-par, foi de uma imprudência indesculpável porque acabou de oferecer ao Judiciário a chance de, com todas as ressalvas de que não interfere no mérito, tratar do que não pode deixar de tratar: de um conflito de autoridade entre as duas casas legislativas.

Pior, uma delas ocupada por quem ele próprio determinou o fizesse, ao afastar Eduardo Cunha do comando da Câmara dos Deputados. E com a confissão deste que “iria apor na quinta-feira (5), data do meu afastamento”. 

Ora, se iria apor e não apôs, confirma que competia a seu sucessor legal fazer e fazer com seu próprio entendimento, julgue-se-o certo e errado.

Uma boa pergunta é porque Cunha afirmou não ter assinado.

E vamos assim, mudando de monarca decisor: de Cunha para Renan e, agora, provavelmente, Barroso.

Fonte: O cafezinho

Ricardo Lewandowski justifica decisão do STF pelo afastamento de Cunha

Leandro Prazeres
Do UOL, em Brasília

O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, justificou a demora da Corte em colocar o julgamento em pauta. “O tempo do Judiciário não é o tempo da política e nem é o tempo da mídia. Temos ritos, procedimentos e prazos que devemos observar”, declarou. “Não há qualquer ingerência no Poder Legislativo. Estamos atuando dentro dos lindes de nossa competência e nossa ação jurisdicional”, disse. Aliados de Cunha haviam dito que a decisão do STF seria uma intervenção do Judiciário em assuntos da Câmara.

O afastamento de Cunha do cargo atendeu a um pedido feito pela PGR (Procuradoria-Geral da República) em dezembro do ano passado. Segundo a PGR, Cunha utilizava a posição de presidente da Câmara para obstruir investigações contra ele realizadas pela Operação Lava Jato. O pedido feito pela PGR citou 11 pontos que, segundo o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, justificam o afastamento de Cunha.

Entre os pontos citados por Janot estão a convocação da advogada Beatriz Catta Preta para depor na CPI da Petrobras e as ameaças e ofertas de propina ao ex-relator do processo por quebra de decoro parlamentar contra Cunha no Conselho de Ética da Câmara.

Em sua decisão liminar, Teori afirmou que a permanência de Cunha no cargo “além de representar um risco para as investigações penais sediadas neste Supremo Tribunal Federal, é um pejorativo que conspira contra a própria dignidade da instituição por ele liderada”.

Segundo Folha de São Paulo, PSDB quer indicar o ministro da Justiça e diretor da Polícia Federal

Os tucanos indicando o ministério e Polícia Federal fica claro a politização das investigações da Operação Lava Jato

GUSTAVO URIBE
DE BRASÍLIA

Com dificuldades para definir um nome para o comando do Ministério da Justiça a pouco mais de uma semana da votação do impeachment da presidente Dilma Rousseff no plenário do Senado, o vice-presidente Michel Temer aguarda uma indicação da cúpula nacional do PSDB.

O presidente nacional do partido, senador Aécio Neves (MG), ficou de sugerir um nome nesta semana. Na terça (3), o tucano entregará uma lista de condições para que o PSDB integre um eventual governo de Temer.

Uma delas é dar continuidade às investigações da Operação Lava Jato tocadas pela Polícia Federal, vinculada ao Ministério da Justiça.

Em conversas reservadas, Temer avalia que, em troca do apoio integral do partido de oposição, pode nomear até três nomes sugeridos pela sigla para a sua equipe ministerial. Até agora, duas pastas já foram definidas: Relações Exteriores e Direitos Humanos. A primeira deverá ser chefiada por José Serra e a segunda pode ficar com Bruno Araújo, deputado que deu o voto 342 pelo impeachment de Dilma, ou Mara Gabrilli.

Aécio tem simpatia pelos ex-ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) Carlos Velloso e Cezar Peluso, já cotados por Temer para o comando da Justiça. Mas o tucano busca um novo nome.

Inicialmente, a intenção de Temer era colocar na pasta o advogado e amigo Antônio Carlos Mariz. Mas, após entrevista à Folha em que criticou a Operação Lava Jato, ele acabou descartado.

Sem cartas na manga, Temer pode deslocar para a Justiça o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Alexandre de Moraes, inicialmenteconvidado para a AGU (Advocacia-Geral da União).

Perseguição implacável contra servidores públicos da AL

Os funcionários da Assembléia Legislativa, em sua quase totalidade, exceção daqueles de concurso público realizado recentemente, foram todos transferidos do Poder Executivo para o Poder Legislativo.

Mecanismo utilizado também por outros órgãos e poderes. Essa forma de transferência de funcionários de um Poder para outro, passou a ter sua legalidade questionada e a questão encontra-se judicializada, não tendo recebido sentença ainda.

O que causa curiosidade e espanto, é que esse fato, que já foi noticiado várias vezes, mesmo sem ter sido julgado ainda, vem sendo requentado permanentemente por alguns setores da imprensa local. Resta saber qual o objetivo.

São muitas pessoas que já estão perto de requerem aposentadoria. Muitos perdendo emprego não terão mais oportunidade de trabalho.

Os membros do Ministério Público quando mais ganha vantagens mais querem perseguir outros servidores públicos.

Atos pró-governo, previstos para domingo, foram transferidos para 18 e 31 deste mês. Receio de confrontos foi o principal motivador do adiamento

Depois de políticos demonstrarem preocupação sobre o embate que poderia acontecer nas ruas no próximo dia 13 durante as manifestações contra o governo, a Frente Brasil Popular divulgou nesta quinta-feira (10) nota com novas datas para os atos de apoio ao ex-presidente Lula, à presidente Dilma Rousseff e ao Partido dos Trabalhadores.

O grupo caracterizou as indagações quanto a possibilidade de enfrentamento como uma tentativa da oposição de “forjar confrontos no dia 13 de março”. ”Para evitar as provocações é necessário unidade, organização e vigilância. O povo brasileiro sabe muito bem quem patrocina a violência contra os trabalhadores e contra a democracia”, diz o texto.

Promovido, principalmente, pela Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos – que reúne 47 organizações – o ato pró-impeachment mantém a concentração dos militantes para o próximo domingo (13).

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, divulgou em página pessoal do Facebook o apoio às manifestações organizadas pela Frente. Falcão destacou que, para evitar os confrontos, essas serão as datas apoiadas pela legenda.

“Vamos participar, organizadamente das datas convocadas pela Frente Brasil Popular: 18 e 31 de março”, afirmou Rui.

A Frente Brasil Popular avisou que as diretrizes para os atos serão divulgados ao longo da próxima semana. De acordo com informações do Diretório do PT em São Paulo, movimentos sindicais – como Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Movimento Camponês Popular (MCP) – pró-governo devem acompanhar a decisão da FBP.

A seguir, a íntegra da nota divulgada pela Frente Brasil Popular:

“1.A FBP saúda todas as mulheres que manifestaram-se no dia 8 de março, Dia Internacional de Luta das Mulheres. A luta pelos direitos das mulheres e a luta pelas liberdades democráticas devem fazer parte do mesmo processo.

2.A FBP reafirma a convocatória para as atividades de 18 e 31 de março. Na próxima semana a FBP divulgará diretrizes detalhas a respeito.

3.A FBP se solidariza com todas as atividades descentralizadas, convocadas e organizadas consensualmente pelas instâncias da FBP, entre os dias 10 e 18 de março.

4.Há sinais cada vez mais evidentes de que as forças de direita querem forjar confrontos no dia 13 de março. Para evitar as provocações é necessário unidade, organização e vigilância. O povo brasileiro sabe muito bem quem patrocina a violência contra os trabalhadores e contra a democracia.”

Lauritos querem desviar o foco da suspeita de Henrique Alves receber propina da Carioca

Ter um filho trabalhando no serviço público não é crime

Esses ‘lauritos’ são verdadeiros arautos de araque da moralidade. Eles agora então gozando politicamente pelo fato da filha do governador Robinson Faria ser assessora parlamentar do gabinete do deputado estadual José Dias na Assembléia Legislativa.

A revolta e inconformismo da derrota leva uma ruma de recalcados a atingir pessoas somente por motivações políticas. A filha de Robinson é servidora comissionada do gabinete de José Dias desde 2011, sempre compareceu ao expediente e cumpriu com suas obrigações. Se existe um deputado sério, dentre poucos, na Assembleia é José Dias, ele jamais iria nomear um ‘fantasma’ ou ‘sinecura’ em seu gabinete. Alias, José Dias divergiu de Robinson e praticamente rompeu com o governador, caso ele tivesse feito uma nomeação graciosa, teria demitido Janine quando rompeu publicamente com o governador no episódio da eleição da mesa da Assembleia, disse um amigo do governador.

Os ‘lauritos’ deveriam entender que existe muitos indicados pelo ministro Henrique Alves que nem sabem onde fica a Assembleia. O pior é que os ‘lauritos’, não falam nada sobre mais uma denuncia da Polícia Federal onde Henrique Alves aparece como  suspeito de receber propina da construtora Carioca da máfia liderada pelo presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha.

Qual o problema de uma filha do governador trabalhar na Assembleia se ela dá expediente e cumpre com suas obrigações funcionais? Não seria caso se ela estivesse traficando influencia ou sendo fornecedora de produtos e serviços do Estado.

 

Delcídio acerta acordo de delação premiada na Lava Jato e detona Lula e Dilma

Em São Paulo

O senador Delcídio Amaral (PT-MS) decidiu fazer acordo de delação premiada perante o grupo de trabalho da Procuradoria-Geral da República na Operação Lava Jato.

Ele citou vários nomes, entre eles o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e detalhou os bastidores da compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras, entre outros assuntos. As primeiras revelações do ex-líder do governo fazem parte de um documento preliminar da colaboração.

Nesta fase, o delator indica temas e nomes que pretende citar em seus futuros depoimentos após a homologação do acordo. Delcídio foi preso no dia 25 de novembro do ano passado acusado de tentar atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato e solto no dia 19 de fevereiro. Desde que saiu da prisão, Delcídio nega ter feito delação premiada.

Reprodução da delação premiada do senador Delcídio Amaral, em que cita Lula e Dilma
A revista “IstoÉ” divulgou detalhes da delação premiada de Delcídio, que teria 400 páginas. O senador acusou a presidente Dilma Rousseff de atuar três vezes para interferir na Operação Lava Jato por meio do Judiciário.
“É indiscutível e inegável a movimentação sistemática do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo e da própria presidente Dilma Rousseff no sentido de promover a soltura de réus presos na operação”, afirmou Delcídio na delação, segundo a revista.

Uma das investidas da presidente Dilma, segundo Delcídio, passava pela nomeação do desembargador Marcelo Navarro para o Superior Tribunal de Justiça (STJ). “Tal nomeação seria relevante para o governo”, pois o nomeado cuidaria dos habeas corpus e recursos da Lava Jato no STJ”, afirma a reportagem.

Delcídio contou aos procuradores que a estratégia foi discutida com Dilma no Palácio da Alvorada e que sua tarefa era conversar “com o desembargador Marcelo Navarro, a fim de que ele confirmasse o compromisso de soltura de Marcelo Odebrecht e Otávio Marques de Azevedo”, da Andrade Gutierrez.

Conforme a “IstoÉ”, Delcídio se reuniu com Navarro no próprio Palácio do Planalto, no andar térreo, em uma pequena sala de espera, o que, segundo o senador, pode ser atestado pelas câmeras de segurança. No STJ, Navarro cumpriu a suposta orientação, mas foi voto vencido.

Na sua delação, Delcídio citou vários nomes, entre eles o do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e detalhou os bastidores da compra da refinaria de Pasadena pela Petrobras, entre outros assuntos.

Outro lado
Foram procurados o Palácio do Planalto, o Instituto Lula, a AGU e o STJ. O ministro José Eduardo Cardozo (Advocacia-Geral da União) disse que Delcídio “não tem credibilidade” nem “prima por dizer a verdade” e, caso tenha feito uma delação premiada para colaborar com a Operação Lava Jato, é possível que seja uma “retaliação” ao governo Dilma por não tê-lo ajudado a sair da prisão.

Segundo a “Folha de S.Paulo”, o presidente do STJ, Francisco Falcão, disse que “não existiu” articulação entre a corte e o governo para libertar réus presos na Operação Lava Jato.

O demais procurados ainda não se manifestaram sobre o conteúdo da denúncia.

STF julgará hoje pedido de denúncia da PGR contra Eduardo Cunha

Cunha com seu grupo do RN – Walter Alves, Garibaldi Alves, Henrique Alvas e Carlos Eduardo Alves

O Supremo Tribunal Federal (STF) julga hoje (2) denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha. A sessão está prevista para começar às 14h. Será o primeiro julgamento de abertura de ação penal contra um parlamentar investigado na Operação Lava Jato. Se a maioria dos ministros decidir pelo recebimento de denúncia, Cunha passará à condição de réu no processo.

Eduardo Cunha foi denunciado em agosto do ano passado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, sob a acusação de ter recebido propina para que um contrato de navios-sonda da Petrobras fosse viabilizado. As acusações fazem parte dos quatro inquéritos aos quais Cunha responde no Supremo pelas investigações da Lava Jato. Devido às investigações, Janot também pediu à Corte o afastamento de Cunha do cargo. O pedido, no entanto, não será julgado durante a sessão.

Promotor do caso tríplex diz que condução coercitiva de Lula é “equívoco”

Em São Paulo e Curitiba

Os promotores de Justiça Cassio Conserino e Fernando Henrique de Moraes Araújo, do Ministério Público do Estado de São Paulo, informaram nesta segunda-feira (29) que não têm a intenção de conduzir de forma coercitiva o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua mulher, Marisa Letícia, para prestarem depoimento sobre o tríplex 164/A no Condomínio Solaris, no Guarujá (SP). Segundo os promotores houve “um equívoco” na intimação a Lula.

“Talvez tenham utilizado modelo padrão para notificação de testemunhas, uma vez que nessa hipótese é possível”, assinalam os promotores em documento que será encaminhado nesta terça, dia 1º, ao Tribunal de Justiça do Estado onde a defesa de Lula ingressou com pedido de habeas corpus para impedir a eventual condução coercitiva do petista e de sua mulher, Marisa Letícia.

“Esse erro não foi perpetrado por nós”, afirma Conserino, que soube pela imprensa do uso da expressão “condução coercitiva” na intimação ao ex-presidente.

Conserino suspeita de crime de lavagem de dinheiro por meio de ocultação patrimonial. Ele suspeita que o ex-presidente é o verdadeiro proprietário do tríplex no Guarujá. A defesa de Lula afirma que ele não é dono do imóvel.

Pança cheia: Antônio Jácome está entre os 15 deputados mais gulosos do Brasil

Tá ficando roliço de tanto comer com dinheiro público

Do Congresso em Foco – A Câmara reembolsou, de fevereiro (data de início da atual legislatura) a dezembro do ano passado, R$ 1,87 milhão com as refeições de 425 deputados. Outros 124 optaram por não apresentar nenhum pedido de ressarcimento. A soma excede o número de deputados federais (513) por incluir titulares licenciados e seus suplentes. Considerando o total de cadeiras, estamos falando em um consumo anual médio abaixo de R$ 3,7 mil. Certos detalhes tornam, porém, essas despesas curiosas e, eventualmente, muito estranhas, como destaca a nova edição da Revista Congresso em Foco, que mostra como os parlamentares utilizam o dinheiro público da verba indenizatória. Com a proibição de pagamento a terceiros, os deputados apresentam à Câmara para fins de ressarcimento, notas fiscais com descrições genéricas que ocultam o que de fato foi consumido.

O deputado federal e evangélico Antônio Jácome é o mais guloso da bancada do RN, ele gastou R$ 18 mil em restaurantes. Já os deputados Fábio Faria e Rafael Motta não gastaram nada com recursos públicos em restaurantes.

Confira as contas dos deputados: 

RN é uma terra de babões canalhas ingratos

Nunca deixei de ser militante político, mesmo mutilado, execrado, no ostracismo faço política na condição de blogueiro.

Agora depois de sobreviver a todo tipo de agressões, traições e abandono, aprendi a escolher as pessoas na política para conviver e expurgar os canalhas que apareceram na minha vida.

Ontem  os canalhas cercavam e idolatravam o primo deputado Ricardo Motta quando ele  tinha força e era presidente da Assembléia. Para os babões canalhas ele era o melhor e mais competente político do RN, muitos canalhas diziam ‘ motinha é foda, ele é gente da melhor qualidade, competente e amigo”, hoje os canalhas que se aproveitaram de Ricardo Motta, muitos, são os mesmos que estão tentando arruinar sua reputação.

Quando Ricardo era presidente da Assembléia nenhum babão reclamou que ele triplicou os cargos comissionados da Assembleia, pelo contrario, eles se aproveitaram para nomearem mais apadrinhados. É preciso lembrar, e nenhum canalha é capaz de lembrar, que Ricardo Motta fez uma reforma administrativa na casa com o apoio de todos os deputados criando novos cargos extinguindo cargos de maior remuneração, ou seja, ele não aumentou despesa com pessoal.

Hoje, jornais, blogueiros e jornalistas que criticam Ricardo Motta eram os mesmos que mamavam na folha da Assembleia.

Infelizmente aqui na terra de Poti é assim, essa canalhice hoje está babando Ezequiel, amanhã vão fazer com Ezequiel o mesmo que fizeram com Álvaro Dias e Robinson Faria.

Até os babões de Micarla hoje falam mal dela, um dia desses um canalha que mamou na gestão dela ligou para mim dizendo que ela era isso e aquilo. Desliguei o telefone e mandei ele se lascar, embora tenha concordado com tudo que ele disse.

Gratidão é uma virtude que não existe na canalhice potiguar.

Presidente argentino desmarca audiência com tucanos

Estadão Conteúdo

O presidente da Argentina, Mauricio Macri, desmarcou a audiência que teria com o senador Aécio Neves (PSDB-MG) no começo deste mês. No momento em que ainda estreita relações com a presidente Dilma Rousseff, ele preferiu não receber a principal liderança oposicionista brasileira na Casa Rosada, no país vizinho.

Além de Aécio, estiveram de viagem marcada para Buenos Aires os senadores Ricardo Ferraço (ES) e Aloysio Nunes (SP). Os dois são do PSDB e fazem parte da Comissão de Relações Exteriores do Senado. Ferraço comandou a comissão até março de 2015 e Aloysio é seu sucessor desde então.

A audiência foi solicitada por Ferraço após a vitória de Macri nas eleições presidenciais argentinas encerradas em novembro passado. A data do encontro estava marcada para o dia 2 de fevereiro. Os senadores chegaram a acertar detalhes da viagem, como passagens e hospedagens.

No dia previsto, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB), telefonou para Ferraço pensando que o senador já estivesse em Buenos Aires. O parlamentar negou qualquer mal-entendido. “Não chegou a ficar confirmado. Nós tínhamos um apontamento, uma perspectiva de que seria dia 2”, argumentou Ferraço.

O senador do Espírito Santo disse ainda que a reunião com Macri “irá acontecer a qualquer momento”. “Está no nosso radar”, completou. Ferraço declarou que a agenda do encontro abordaria “uma pauta que nos últimos anos não foi considerada pelo governo do PT e tampouco por seus aliados da América do Sul”.

Mudança de Lula entregou 37 caixas de bebidas no sítio de Atibaia

Documentos obtidos por VEJA mostram que, logo após deixar o governo, pertences do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de sua família foram levados para o sítio em Atibaia comprado em nome de sócios do filho mais velho do petista e reformado às expensas de empreiteiros acusados de participar do petrolão.

As notas fiscais e ordens de serviço de uma das transportadoras contratadas pelo governo federal para fazer o serviço comprovam que, a mando do Palácio do Planalto, parte da mudança de Lula foi remetida para a propriedade que o ex-presidente nega ser sua.

O sítio é o mesmo que virou alvo da Operação Lava-Jato e de uma investigação do Ministério Público de São Paulo, que apura a suspeita de que Lula tentou ocultar patrimônio, além de ter sido beneficiado por favores das empreiteiras envolvidas no escândalo da Petrobras.

Mais de 200 caixas com pertences da família do ex-presidente foram levadas de Brasilia até o o sítio em Atibaia — 37 delas eram caixas de bebidas, conforme registraram, cuidadosamente, os funcionários encarregados de fazer a mudança.

Os documentos com o registro da mudança estão arquivados na Presidência da República. A entrega em Atibaia se deu em 8 de janeiro de 2011, dois meses após a compra do sítio, feita em nome dos empresários Jonas Suassuna e Fernando Bittar, sócios do filho mais velho de Lula. No sítio, a carga foi recebida por um ex-assessor especial de Lula.birita

 

Falecido Geraldo Gomes e seus líderes

Eu fico impressionado como políticos utilizam o falecimento de pessoas para gerarem mídia. O ex-prefeito de Currais Novos, Geraldo Gomes é merecedor de todas homenagens e reconhecimentos.

Mas alguns caciques, estão fazendo um verdadeiro palanque eleitoral com seu lamentável falecimento.

Lembro-me, quando passei em Currais Novos na eleição de 2012, na companhia do primo Luiz Cláudio (chope), momento que ele disputou a reeleição para Prefeitura de Curais Novos e sendo derrotado.  Em nosso casual encontro, Geraldo Gomes disse: “Estou completamente abandonado pelos meus líderes nesta eleição”.

Os líderes que ele se referia, são exatamente os mesmos que estão enviando notas de pesar para os blogues.

Chovendo no RN e o sertão está em festa

g_mirante-e-vista-geral-da-barragem-armando-ribeiro-em-itaja-rn-fotopedro-cardosoO maior reservatório de águas superficiais do Rio Grande do Norte, a Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, no Vale do Açu, recebeu um volume de 10 milhões de metros cúbicos de água.

O sítio Riacho da Palha, na zona rural de Jucurutu, chegou a registrar uma precipitação de 100 milímetros. Como resultado, o açude da comunidade alcançou o nível de sangria. Fotos: Felipe Pereira.

riacho2

As chuvas dos últimos dias no Seridó também levaram à sangria do açude localizado no Sítio do Serrote, em São Fernando. Confira as imagens postadas por Francisco Gomes.