Arquivo da categoria: Babada Cabeluda

Dois servidores do Detran-RN afastados em esquema de emissão fraudulenta de 1.500 CNH’s

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte, por meio doDepartamento de Combate à Corrupção (DECCOR), deflagrou, na manhã desta quinta-feira (27), a Operação “Licentiam falsus”, resultando no cumprimento de nove mandados de busca e apreensão relacionados à investigação sobre a emissão fraudulenta de aproximadamente 1.500 Carteiras Nacionais de Habilitação (CNHs). Os mandados foram cumpridos nos municípios de Natal (RN), Mossoró e Parnamirim.

As fraudes aconteceram no ano de 2018 e as investigações estão ocorrendo há, aproximadamente, 1 ano e 6 meses. Ao longo do processo investigativo, foi constatada a participação de: três ex-coordenadores, dois “atravessadores”, dois proprietários de autoescola e dois servidores do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/RN), dentre eles, um examinador. A ação resultou no afastamento dos dois servidores do DETRAN/RN e na prisão em flagrante de uma pessoa, pela suspeita da prática dos crimes de posse irregular de arma de fogo e receptação.

A apuração contou com a parceria do Detran/RN, que forneceu à polícia acesso direto ao sistema RENACH e aos dados cadastrais dos condutores, além de terem realizado auditorias no sistema para identificação das fraudes. Os ex-coordenadores serão investigados pelos crimes de inserção de dados falsos em sistema de informação da Administração Pública e corrupção passiva. Já os servidores serão investigados pelo crime de corrupção passiva; os “atravessadores” e donos de autoescola responderão por corrupção ativa.

Ainda segundo as investigações, a prática do crime consistia em inserir dados falsos diretamente no sistema do DETRAN, emitir a CNH e dificultar a identificação da fralde. A maioria das carteiras de habilitação emitidas por meio do processo fraudulento foram concedidas para pessoas analfabetas ou que não apresentavam condições de aprovação em todos os exames. Os valores das propinas variavam.

Traficantes do Rio já têm ‘exército’ maior que a PM

As facções de traficantes que dividem o controle de cerca de 1.500 favelas do Rio de Janeiro já somam 56 mil criminosos muito bem armados e mais numerosos que a Polícia Militar do Estado, com 44 mil policiais. A estimativa do “exército de bandidos” foi citada nesta sexta (28) pelo procurador de Justiça Marcelo Rocha Monteiro, em entrevista à Rádio Bandeirantes. Ele adverte: a decisão do Supremo Tribunal Federal de proibir a polícia nas favelas fortaleceu as organizações criminosas.

Cresceu a ambição da gangue paulista “PCC” para se estabelecer nas favelas do Rio, como mostrou operação da Polícia Federal dias atrás.

Com a polícia proibida de agir, tiroteio de 27 horas marcou a tentativa de uma facção “tomar” o morro de São Carlos, no Rio, controlado por rivais.

Na decisão do STF, os ministros não parecem informados sobre o drama vivido pela população favelada sob a mira das armas dos bandidos.

O STF nem imagina que pode ser fuzilado morador com roupa amarela, cor rival, em morro controlado pelo “Comando Vermelho”, e vice-versa.

CLÁUDIO HUMBERTO

Bolsonaro simpático

No auge da popularidade, o presidente Jair Bolsonaro virou uma espécie de “Mister Simpatia” para a maioria dos brasileiros. Levantamento nacional realizado pelo instituto Paraná Pesquisa para o site Diário do Poder, revela que Bolsonaro é considerado, de longe, a mais simpática das mais altas autoridades do País. Diante da pergunta “Com qual dessas pessoas o Sr.(a) simpatiza mais?”, 43,6% cravaram o presidente. Em seguida vem “nenhum”, com 23%. Do total, 5% não quiseram opinar.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, está com distantes 16% nessa pesquisa que aferiu a simpatia das autoridades junto à população.

Dias Toffoli, presidente do Supremo, com 5,9%, e o procurador geral da República, Augusto Aras, com 3%, estão nas posições seguintes.

Está na lanterninha das autoridades mais simpáticas dos Três Poderes o presidente do Senado, Davi Alcolumbre: tem só 2,8%.

O levantamento Paraná Pesquisas, realizado entre os dias 22 e 24 deste mês, ouviu 2.280 pessoas em 208 municípios de 26 estados e no DF.

DIÁRIO DO PODER

Governo Bolsonaro pagou R$ 47 milhões à JBS para comprar carne, diz revista

Colaboradores Yahoo Notícias
O governo de Jair Bolsonaro (sem partido) desembolsou R$ 47 milhões para fornecer carne da JBS a militares. Segundo a revista Crusoé, o Planalto comprou da empresa, investigada pela Operação Lava Jato, peças de picanha, maminha e filé mignon.
De acordo com a publicação, o frigorífico dos irmãos Joesley e Wesley Batista fechou 30 negócios com o Ministério da Defesa desde a posse de Bolsonaro. Os contratos garantiam o fornecimento de alimentos congelados ao Exército e à Marinha.

Na última sexta-feira (21), a PGR (Procuradoria-Geral da República) decidiu iniciar uma apuração preliminar para investigar supostos pagamentos feitos pela empresa JBS a Frederick Wassef, ex-advogado de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ).

A decisão foi tomada após denúncia da revista Crusoé, que afirma que o advogado recebeu R$ 9 milhões da empresa para fazer as negociações com a procuradoria.

A PGR investigará se os valores tinham relação com o acordo de delação que foi firmado com os executivos da empresa. Em 2019, Augusto Aras, procurador-geral da República, queria rescindir o acordo e afirmou ser contra uma renegociação com os executivos da JBS.

De acordo com a publicação, o pagamento teria sido identificado pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras).

Em nota, Wassef negou que tenha tratado de qualquer assunto relacionado à JBS com Augusto Aras. O advogado ainda afirmou que não atuou em nome da JBS no acordo firmado com a PGR. A empresa, por sua vez, negou que Wassef tenha defendido a JBS junto à PGR e alegou que o pagamento foi feito por conta de serviços prestados na esfera policial.

Wassef defendia o senador até que Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio e procurado pela polícia, foi encontrado em um sítio em Atibaia, interior de São Paulo, que pertencia ao advogado.

Motel para presos

O Ministério da Justiça confirmou que o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) repassou R$1,4 milhão para construção dos quartos para as visitas íntimas nos presídios do Maranhão, em plena pandemia. Segundo o ministério, o governo de Flávio Dino (PCdoB) pediu o dinheiro e o gasto foi considerado legal por se tratar de “construção, reforma, ampliação e aprimoramento de estabelecimentos penais.”

O ministério explicou que o gasto segue também “as recomendações do Tribunal de Contas da União e da Controladoria-Geral da União”.

Os locais para visitas íntimas e dos familiares serão separados e terão instalações autônomas, com direito até a pátios cobertos e descobertos.

O governo de Flávio Dino vai construir 22 quartos em 11 presídios para “atender os direitos dos presos”. Já o direito das vítimas…

CLÁUDIO HUMBERTO

Lista de presentes a ministros inclui camisas do Flamengo, imagens sacras, espumantes importados e outros itens curiosos


por Taís Seibt e Sophia Lopes

Nem só com canetas e calendários se presenteia um ministro. Livros de Frida Kahlo e Machado de Assis, bebidas importadas, camisas do Flamengo, imagens sacras e até uma pulseira bioquântica estão na lista de brindes recebidos por ministros de Jair Bolsonaro em compromissos oficiais. É o que mostram respostas de seis ministérios a pedidos da agência Fiquem Sabendo com base na Lei de Acesso à Informação (LAI).

Os brindes mais curiosos estão na lista do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que ofereceu o controle mais detalhado dentre os órgãos questionados, computando a data da entrega, o remetente e o destino de cada item recebido. A maioria ficou no gabinete ou foi distribuída entre servidores, caso de camisas “com as cores do Flamengo” entregues pelo ex-jogador de futebol Nunes em visita ao ministro. Em outra oportunidade, o diretor de Marketing do clube, Aleksander Santos, presenteou o ministro com uma “camisa de futebol com as cores do Flamengo (não oficial)”, conforme descrição registrada.

Já vinhos e espumantes ficaram com o próprio ministro, incluindo duas garrafas de espumante Freixenet Cordon Negro Brutoferecidas por embaixadores da Espanha em dois encontros distintos. Um item curioso na lista de presentes do ministro Tarcísio de Freitas é uma “pulseira bioquântica Bolsonaro”, conforme a descrição no relatório, presenteada pelo próprio presidente Jair Bolsonaro.

Pulseiras bioquânticas viraram febre entre celebridades anos atrás, mas o presidente Bolsonaro foi fotografado usando um acessório com citação a um versículo do Apocalipse em diversos compromissos públicos em 2019. Também o ministro da Economia, Paulo Guedes, chamou atenção por usar uma pulseira com a mesma citação ao anunciar o “pacotaço” econômico do governo no final do ano passado.

IMAGENS SACRAS E ENFEITES

A ministra Tereza Cristina, titular do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), recebeu diversas imagens sacras e peças de decoração, além de troféus e placas condecorativas, conforme os registros obtidos via LAI. Entre os itens, destacam-se artigos religiosos de diversas vertentes: uma imagem de Nossa Senhora Auxiliadora e outra de Nossa Senhora do Sagrado Coração de Jesus, além de um livro sobre “os significados dos versículos do Alcorão Sagrado”, oferecido pela Federação das Associações Muçulmanas do Brasil.

A resolução n° 3, de 23 de novembro de 2000, da Comissão de Ética Pública (CEP), estabelece as regras para o tratamento de presentes e brindes destinados a autoridades públicas. A norma proíbe o recebimento de presentes oferecidos por pessoas ou empresas que “tenham interesse pessoal, profissional ou empresarial em decisão que possa ser tomada pela autoridade, individualmente ou de caráter coletivo, em razão do cargo”. Quando o valor do presente é menor do que R$ 100, é considerado um brinde, não havendo restrições ao recebimento.

Ainda, a lei federal 12.813 de 2013 prevê que “receber presente de quem tenha interesse em decisão do agente público ou de colegiado do qual este participe fora dos limites e condições estabelecidos em regulamento” configura conflito de interesse no exercício da função. Por isso, autoridades devem ser transparentes em relação aos itens recebidos em compromissos oficiais.

Quando não há possibilidade de recusa, a recomendação é destinar itens de interesse cultural ou histórico ao Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) ou doar para entidades filantrópicas e sociais. Os presentes podem também ser incorporados ao acervo do próprio órgão.

GUEDES REGISTRA ATÉ OS CARTÕES DE NATAL

A legislação não define como deve ser feito o controle dos mimos recebidos por autoridades, ficando a critério de cada pasta. No Ministério da Economia (ME), até mesmo os cartões de Natal enviados ao ministro Paulo Guedes em 2019 foram listados pela Assessoria de Documentação, conforme a resposta via LAI. No “controle de livros e revistas enviados para o ministro”, entre dezenas de publicações técnicas da área econômica sobre tributação, sistema bancário, infraestrutura e cooperativismo, há literatura brasileira: “Crônica do Escritor Machado de Assis – Crítica Teatral” é uma das obras listadas.

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, mantém registros de impressos e convites recebidos, incluindo o de feiras agrícolas como um evento em Lucas do Rio Verde, em Mato Grosso, e a Agrishow 2019, sediada em Ribeirão Preto (SP). Um título curioso na lista disponibilizada via LAI é o livro “Como adquirir riquezas à luz da Bíblia”, presenteado pelo pastor João Gonçalves, autor da obra.

Já o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos (MMFDH) não dispõe de registros de presentes recebidos pela ministra Damares Alves. “Os brindes recebidos durante o cumprimento de agendas oficiais não ultrapassam o valor máximo de R$ 100,00 (cem reais)”, disse o órgão via LAI. Também o Ministério das Relações Exteriores (MRE) não ofereceu detalhes sobre os mimos destinados ao ministro Ernesto Araújo. “São diversas as remessas recebidas neste Gabinete, entre as quais se incluem presentes de autoridades brasileiras e estrangeiras. Os itens incluem, em sua grande maioria, livros e materiais de escritório, víveres e perecíveis”, respondeu o órgão.

Veja a íntegra das respostas sobre os presentes dos ministros

VÍDEO: Bolsonaro levanta anão em ato achando que era criança

Jair conseguiu esse feito em uma aglomeração com apoiadores que promoveu em Aracaju, no Sergipe.

As imagens foram registradas na segunda-feira (17), quando o presidente cumpria agenda no Nordeste. Mas viralizaram somente nesta quarta (19) no Twitter.

Na hora em que Bolsonaro percebeu que era um anão e não uma criança, ele quase joga a pessoa no chão. Uma mulher chega a perguntar: “é uma criança?”.

O Brasil vai ficando cada vez mais psicodélico.