Arquivo da categoria: Esporte

Afastados da família e vida luxuosa: site revela detalhes da relação de Hulk com a sobrinha da ex


Lance
O atacante brasileiro Hulk, atualmente sem clube, se envolveu em uma polêmica que marcou dezembro de 2019: após encerrar seu casamento de 12 anos com Iran Angelo, o ex-Shanghai, da China, se casou com Camila Angelo, sobrinha da ex-companheira do atleta. De acordo com o portal Metrópoles, Hulk e Camila vivem uma vida longe da família e regada de luxos.
O portal afirma que, desde que Hulk e Camila assumiram a relação, em dezembro de 2019, a família da ex-esposa não é mais tão próxima da sobrinha. Toda a família de Camila não falaria mais com ela depois da confusão. Além disso, o site conta que, como é possível verificar no Instagram do jogador, a vida do casal não seria simples: mansão com piscina, casa com vista para o mar, viagens, academia.
Em setembro, Iran chegou a desabafar sobre a situação nas redes sociais.

– Dei tudo a essa menina desde que ela veio ao mundo. Sacrifiquei tantas vezes meus sonhos para realizar os sonhos dela. E aqui não falo só de bens materiais, pois esses são fáceis de serem dados quando se tem dinheiro, mas de amor, carinho, atenção, respeito…

As informações ainda contam que Iran, que tentou diversas vezes um auxílio psicológico para superaras supostas traições de Hulk e deixar no passado o fim da relação, não deixou o casamento com uma mão na frente e outra atrás. O processo de separação foi rápido e generoso, apesar da polêmica.

Diferente da vida que levava com Iran, cercado de amigos e familiares, Camila e Hulk parece viverem apenas com amigos de infância do jogador. Antes de “furar o olho” da tia, Camila chegou a receber uma ajuda financeira de Iran para terminar seus estudos.

Após encerrar seu contrato com o time chinês, Hulk segue no mercado e definindo seu futuro no futebol. Dono de uma empresa na China, o atleta antes não deseja deixar o país. Agora, ele é especulado no mercado europeu e pode pintar em um gigante brasileiro.

Empresa de advogado de Maradona tem 100% dos direito de marca do ídolo argentino, diz jornal

Lance

O diário argentino ‘Olé’ publicou em edição desta sexta-feira, que a empresa Sattvica SA, que pertence ao advogado Matías Morla, é dona de 100% dos direitos de marca – são 59, no total – de Maradona, que morreu no dia 25 de novembro aos 60 anos. o jornal argentino apresentou dados do Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) da Argentina.

A publicação diz ainda que Maradona não aparece como co-autor em nenhuma das propriedades de marca que levam o nome dele. Segundo o site ‘Ifobae’, todos os direitos de marca sobre o nome Diego Armando Maradona. Além de Morla, Maximiliano Pomargo, secretário de El Pibe, também aparece como titular das marcas associadas ao nome do ídolo.

Com isso, Morla e Pomargo podem “adquirir, possuir, solicitar, obter, comprar, ceder, transferir, licenciar, fazer franquia, outorgar licença de uso, registrar e adquirir marcas” além de outros “ativos intangíveis relacionados à propriedade industrial e intelectual” sobre a marca Maradona.

Processos de paternidade em Cuba podem afetar divisão da herança de Maradona

*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 04.09.2013 – O craque argentino Diego Maradona. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SYLVIA COLOMBO
BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) – Além da investigação para apurar se houve ou não negligência ou homicídio culposo na morte de Diego Armando Maradona, outra trama irá se desenrolar nas próximas semanas e meses: a da disputa pela sua herança.

Além de uma soma não conhecida em dinheiro vivo, esse patrimônio está estimado em US$ 500 milhões (R$ 2,6 bilhões), que incluem cinco propriedades na Argentina (dois apartamentos em Villa Devoto, um em Puerto Madero, uma casa em Nordelta, uma em Bella Vista), quatro automóveis no país e dois em Dubai (um Rolls Royce e uma BMW).

Durante sua passagem por Belarus em 2018, onde ocupou por poucos meses a presidência do Dínamo Brest, ele acumulou alguns presentes. Entre eles estão um anel de brilhantes estimado em 300 mil euros (R$ 1,9 milhão), que Maradona usava em alguns jogos no comando do Gimnasia La Plata, e um tanque anfíbio militar da marca Hunta Overcomer.

Maradona ainda mantinha contratos com o Gimnasia, a empresa esportiva Puma e as de jogos eletrônicos EA Sports e Konami.

Também constam de seu patrimônio investimentos em Cuba (ele era amigo do ditador Fidel Castro, morto em 2016, exatos quatro anos antes dele) e na Itália, onde brilhou nos gramados pelo Napoli. Existem, ainda, os direitos de imagem, que continuarão rendendo depois de sua morte.

A princípio, têm direito à herança seus sete irmãos, a ex-mulher Claudia Villafañe, as filhas Dalma, Gianinna, Diego Junior, Jana e Diego Fernando, mais três netos. Outras pessoas podem se somar para a partilha dos bens.

Há uma disputa pela paternidade de outros três possíveis filhos, que teriam nascido em Cuba. Segundo o advogado do craque, Matías Morla, dois deles estão num estágio avançado do processo de comprovação da paternidade.

Eles seriam filhos de duas mães diferentes, mulheres com quem Maradona manteve uma relação quando esteve internado na ilha para tratar sua dependência química.

Para evitar futuras exumações do corpo, enterrado no cemitério de Bella Vista, na província de Buenos Aires, foi recolhida uma amostra de seu DNA.

Com Villafañe, que organizou as cerimônias de velório e enterro ao lado das filhas Dalma e Gianinna, a situação é mais complicada.

No momento da morte de Maradona, estava ainda em aberto um processo de litígio entre os dois. Maradona a acusava de fraude na administração de parte de seus bens. Villafañe também responde a um processo por evasão de impostos.

Segundo Morla, o processo de sucessão pode durar até 90 dias, mas dependerá das apurações de paternidade em Cuba.

28/11/2020 às 14:55 em POLÊMICA Jovem que alega ser filho de Maradona pede exumação de corpo 24h após enterro

Foto: reprodução/Instagram

O adolescente argentino Santiago Lara, 18 anos, que alega ser filho de Diego Maradona entrou com um pedido judicial para exumar o corpo do astro menos de 24 horas após seu enterro – o ex-jogador morreu na última quarta-feira, 25/11, aos 60 anos de idade.

Lara, que briga na justiça desde 2014 para saber se Maradona é de fato seu pai, foi a um programa de TV para falar sobre o pedido de exumação do corpo do atleta argentino, destacou o jornal Mirror seguindo informações da imprensa internacional – confira abaixo vídeo do programa ‘Confrontados’ em que é mostrada a petição de Lara é exibida e detalhada.

“Eu apenas quero saber quem sou. A parte financeira não importa para mim”, destacou, em entrevista ao canal Telemundo. “Sei que essa demanda vai causar polêmica na Argentina, mas se eu não fizer isso, quem vai me dar o DNA?”

O jovem é filho da garçonete Natalia Garat, que morreu em 2006 aos 23 anos e viver um romance com Maradona por alguns anos. O ex-jogador tem cinco filhos, sendo que apenas reconheceu dois deles após anos.

“Minha mãe morreu quando eu tinha três anos, mas dias antes da sua morte, quando ela precisava remover o respirador para falar, ela disse a um grupo de advogados que eu era filho de Diego”, destacou Lara.

A herança de Maradona, que pode chegar a R$ 2,6 bilhões, está em pauta desde a sua morte e pode ser disputada por até 11 pessoas. Além dos cinco filhos reconhecidos pelo ex-jogador, há mais seis pessoas – incluindo Lara – que buscam na Justiça a paternidade do ídolo.

Monet

Relatório preliminar da autópsia de Maradona confirma causa da morte e revela doença crônica no coração


De acordo com as informações do exame, Diego Maradona morreu por insufiência cardíaca aguda. Além disso, foi constatado que o argentino era um paciente com cardiomiopatia dilatada e insuficiência cardíaca congestiva, uma doença crônica no músculo do coração, que causou um grave edema pulmonar.
A cardiomiopatia dilatada é uma doença do músculo cardíacado que se caracteriza por uma dilatação ventricular. Logo, o problema reduz progressivamente a capacidade de bombear sangue pelos ventrículos do coração. Já a insuficiência cardíaca congestiva é uma doença crônica que dificulta o coração na hora de bombear o sangue, causando um refluxo de sangue e outros sintomas, como edema pulmonar e falta de ar.

A autópsia foi realizada assim que sua morte foi confirmada oficialmente pela equipe médica, com autorização da Promotoria de San Isidro e da família do ídolo argentino. Uma ambulância foi chamada na hora do almoço desta quarta-feira para socorrer Maradona, que estava em casa, mas o caso do camisa 10 já era definitivo.

No início de novembro, Maradona passou por uma intervenção cirúrgica para retirar uma retirada de um cóagulo no cérebro, tido como um hematoma subdural. Depois de nove dias internado, ele recebeu alta e passou a ser tratado em casa. A recuperação difícil de uma cirurgia complicada para um paciente com a saúde debilitada e com histórico extenso de problemas acabou não saindo como esperado.

Ex-mulher e filhas de Maradona afastam estafe do craque após sua morte

No final da tarde de quarta-feira (25), cerca de cinco horas após a morte de Diego Armando Maradona, o presidente da Argentina, Alberto Fernández, telefonou para Claudia Villafañe, 60, ex-mulher do jogador.

Ofereceu a Casa Rosada para receber o velório, e a proposta foi aceita. Fernández disse que tudo seria feito de acordo com a vontade dela e das filhas, Dalma, 33, e Gianinna, 31.

Antes disso, Juan Román Riquelme, outro camisa 10 histórico do Boca Juniors e vice-presidente do clube, havia colocado o estádio de La Bombonera à disposição da família.

A pedido das três mulheres, a cerimônia de enterro, no cemitério de Bella Vista, foi reservada apenas para 25 pessoas. Os integrantes do que era chamado de “o entorno” de Diego foram afastados e não estavam entre elas.

Esse estafe, que inclui o advogado Matías Morla e o médico Leopoldo Luque, já havia sido impedido de entrar no condomínio onde o ídolo morreu.

Morla deixou claro seu incômodo com a situação. Disse nas redes sociais que “a ambulância demorou mais de meia hora para chegar” e acusou quem estava acompanhando Maradona, quando este passou mal, de ter agido de modo muito lento, ao chamar primeiro o médico do condomínio e só depois ter contatado o médico pessoal do ex-atleta e uma ambulância.

“Foi uma idiotice criminosa”, vociferou. Nem Morla nem Luque entraram na Casa Rosada para o velório.

As filhas e a ex-mulher a princípio se recusaram a permitir a autópsia do jogador, mas depois consentiram, indicando um perito de confiança. A conclusão foi de insuficiência cardíaca crônica.

Na existência atribulada de Maradona, a família era uma de suas maiores incoerências. Ele disse várias vezes que Claudia era o amor de sua vida, mas morreu brigando com ela na Justiça por causa de dinheiro e imóveis. Afirmava que Dalma e Gianinna eram tudo para ele, mas pouco as via. Ambas tomaram o lado da mãe nas discussões.

As duas atribuem o distanciamento ao entorno do jogador. Sustentam que gostariam de ter tomado as rédeas da saúde e da agenda do pai, mas eram impedidas. Gianinna diz ter ido visitá-lo com Benjamín, seu filho com o atacante Sergio Agüero, em 30 de outubro, dia do aniversário de 60 anos de Diego, mas ficado poucos minutos.

Matías Morla cuidava de todos os assuntos em nome de Maradona. No mesmo dia 2 de novembro em que o craque foi internado em uma clínica em La Plata, sua conta no Instagram publicou uma propaganda de cigarro —depois apagada.

Durante a Copa do Mundo da Rússia, em 2018, Morla pedia US$ 30 mil (cerca de R$ 150 mil em valores atuais) por entrevistas com o ex-jogador, que estava no país sob contrato da Puma (fabricante de material esportivo) e da Telesur, rede de TV multiestatal de países com governos de esquerda na América do Sul.

Gianinna e Dalma voltaram a usar suas redes sociais nos últimos dias para atacar Morla e companhia, dizendo que há tempos o pai era usado para exibições de propaganda, fins comerciais e projeção pessoal de algumas figuras.

Após Diego ser transferido de La Plata para Buenos Aires para remover um hematoma na cabeça, as filhas mandaram chamar um outro médico, além de Leopoldo Luque, para ter uma segunda opinião, demonstrando que não confiavam totalmente no neurologista. Com isso, a operação atrasou algumas horas.

Luque postou uma foto ao lado do paciente antes de ele deixar o hospital, no dia 11, quebrando um acordo para preservá-lo e enfurecendo as filhas. Algum tempo depois, pediu desculpas e disse que teve a autorização de Maradona.

Maradona ao lado do médico Leopoldo Luque após receber alta em hospital de Buenos Aires, na Argentina

A vida familiar do maior camisa 10 argentino foi como todas as outras facetas de sua existência. Cheia de idas e vindas, amores e rompimentos. Mesmo depois de se divorciar de Claudia, em 2003, ela continuou a cuidar de vários aspectos do dia a dia do ex-marido por um período.

Depois, ele teve relacionamentos com Veronica Ojeda, que esteve no velório e enterro com o filho Dieguito Fernando, e Rocío Oliva, barrada nas duas cerimônias do dia.

Diego Maradona foi enterrado no cemitério de Bella Vista, nos arredores de Buenos Aires, para estar próximo dos pais, don Diego e Tota. Os dois criaram o filho no bairro pobre de Villa Fiorito, em uma casa de telhas cheia de buracos, construída pelo próprio pai. Operário da indústria de carne, ele foi ausente em boa parte da infância do craque pois tinha de trabalhar.

Já Tota era o motivo da adoração do filho. Ela morreu em 2011, e os melhores amigos disseram que ele nunca mais foi a mesma pessoa depois disso.

FOLHAPRESS

Maradona será velado nesta quinta, na Casa Rosada, em Buenos Aires; público esperado é de 1 milhão de pessoas


Foto: CNN Brasil/reprodução

O velório de Diego Armando Maradona será realizado na Casa Rosada, sede do governo argentino, nesta quinta-feira (26), em Buenos Aires. Antes, o corpo do craque passará por autópsia. Maradona morreu aos 60 anos, em casa, após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

Apesar das preocupações de isolamento social pela pandemia do novo coronavírus, são esperadas quase um milhão de pessoas em frente ao balcão em que o camisa 10 ergueu a Copa do Mundo de 1986. Até para evitar ainda mais multidões, o horário não foi informado.

Em entrevista em frente à casa onde Maradona morreu, o fiscal do Departamento Judicial de San Isidro, John Broyad, adiantou que o corpo do craque não tinha sinais de violência. Ele morreu por volta das 12h (local e de Brasília). Às 16h, policiais científicos começaram a trabalhar no local. Já a autópsia será realizada a partir das 18h. O corpo deixou a residência às 17h15 e foi acompanhado por um comboio policial.

“Não foi detectado nenhum sinal de criminalidade, de violência. A autópsia será para determinar a causa da morte, mas podemos adiantar que o falecimento se caracteriza por fatores naturais, sem sinal de violência. A autópsia vai esclarecer a causa da morte”, afirmou Broyad.

Maradona estava em casa quando se sentiu mal. Familiares e funcionários chamaram uma ambulância para socorrê-lo, mas ele morreu antes mesmo da chegada do veículo da emergência. O ex-jogador tinha deixado uma hospital havia duas semanas após ser internado, onde se detectou um hematoma no cérebro. Ele lutava contra uma série de problemas de saúde.

Além de fornecer a Casa Rosada para o velório, o governo argentino decretou três dias de luto no país. O Boca Juniors havia colocado à disposição o seu estádio, a Bombonera, para a realização do velório de Maradona.

R7

Maradona é internado na Argentina

Diego Maradona deu entrada, nesta segunda-feira, em uma clínica médica na cidade de La Plata, na Argentina, poucos dias após completar 60 anos. De acordo com o ‘La Nación’, o treinador de Gimnasia y Esgrima será submetido a exames.

De acordo com o jornal Clarín, a decisão de internar Maradona é preventiva por sua situação emocional e decidida na última sexta-feira, após não se sentir bem na breve homenagem que lhe foi feita no Estádio Carmelo Zerillo, antes da partida contra Patronato, pelo Campeonato Argentino.

Maradona mostrou sérias dificuldades em percorrer o caminho entre o vestiário e o gramado, e teve que estar acompanhado por dois assistentes. Após uma breve conversa, ele sentou-se ao lado do banco reserva, mas não terminou de assistir ao primeiro tempo.

Segundo o ‘Clarín’, pessoas próximas descartaram que a internação se deva a sintomas ligados a Covid-19. A princípio, foi decidida de comum acordo entre Maradona e seu neurocirurgião-chefe, Leopoldo Luque, devido a um quadro emocional que afetou o agora técnico devido à situação da pandemia.

Durante sua quarentena, Maradona passou por um plano pelo qual perdeu 11 quilos e realizou uma operação no joelho em 2019, na qual foi colocado uma prótese.

O GLOBO