Arquivo da categoria: Internacional

URGENTE: Vacina contra Covid-19 funciona e laboratório vai produzir 1 bilhão de doses

Julho já começou com uma boa notícia e a vacina experimental contra o novo Coronavírus produzida pela gigante farmacêutica Pfizer em parceria com a empresa de biotecnologia BioNTech demonstrou bons resultados em testes com humanos. A vacina estimulou a resposta imune dos pacientes saudáveis, mas também causou efeitos colaterais, como febre, em doses mais altas.

O estudo foi randômico e testado em 45 voluntários que receberam três doses da vacina ou placebo; destes, 12 receberam uma dose de 10 microgramas, outros 12 tomaram 30 microgramas, mais 12 receberam uma dose de 100 microgramas e nove foram tratados com a versão em placebo da vacina. A dose mais alta, de 100 microgramas, causou febre em metade dos participantes do teste — por conta dos efeitos colaterais, o grupo não recebeu uma segunda dose.

Depois de uma segunda dose da injeção três semanas depois da primeira, 8,3% dos participantes do grupo de 10 microgramas e 75% do grupo de 30 microgramas também tiveram febre. Outro sintoma apresentado foram distúrbios de sono. Os pesquisadores, no entanto, não consideraram os efeitos colaterais sérios e não resultaram em hospitalizações.

A vacina foi capaz de gerar anticorpos contra a Covid-19 e alguns deles neutralizaram o vírus, o que pode significar que é capaz de parar o funcionamento dele, mas ainda não se sabe se esse nível mais alto de anticorpos é realmente capaz de gerar imunidade à doença. A Pfizer irá conduzir novos estudos em breve para provar que quem tomou a vacina é 50% menos vulnerável ao vírus.

Por causa da pandemia, macacos invadem uma cidade

O aumento do número de macacos trouxe mudanças no cotidiano da população, com muitos moradores obrigando-se a se confinarem dentro de casa.

A pandemia do coronavírus transformou a forma como vivemos, mas em uma cidade na Tailândia, seus efeitos foram particularmente sentidos pelos moradores.

Em Lopburi, os macacos, outrora uma atração turística, “tomaram o controle” da cidade antiga.

Eles passaram a se alimentar de junk food e, com essa energia excedente, reproduziram-se indiscriminadamente
O aumento do número de macacos trouxe mudanças no cotidiano da população, com muitos moradores obrigando-se a se confinarem dentro de casa.

Além disso, gangues rivais de macacos brigam com frequência e há até zonas aonde os humanos não podem ir.

Irã emite mandado de prisão contra Trump e pede ajuda da Interpol, diz agência

O Irã emitiu um mandado de prisão para o presidente americano, Donald Trump, e outras 35 pessoas pelo assassinato do general Qassem Soleimani e pediu ajuda à Interpol. A afirmação foi feita pelo promotor de Teerã, Ali Alqasimehr, nesta segunda-feira (29), segundo a agência de notícias iraniana de notícias Fars.

Para os Estados Unidos, a medida iraniana é um “golpe de propaganda que ninguém leva a sério”.

O promotor iraniano afirmou que os mandados foram emitidos sob a acusação de ação terrorista e de assassinato de Qassem Soleimani, chefe de uma unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã e um dos homens mais poderosos do país.

Ele foi morto em um ataque com drone dos Estados Unidos em Bagdá, no Iraque, em janeiro. A ordem para que o general fosse executado partiu de Donald Trump. Washington acusou o general de orquestrar ataques de milícias alinhadas ao Irã contra forças norte-americanas na região.

Alqasimehr afirmou que o Irã pediu à Interpol para emitir um “aviso vermelho” para Trump e as outras autoridades civis e militares dos EUA que são acusadas ​​pela República Islâmica de participar do ataque. Ainda segundo o promotor, o Irã continuará a investigar o assunto após o término do mandato presidencial de Trump. O mandatário americano concorre à reeleição no início de novembro.

‘Golpe de propaganda’

O enviado norte-americano para o Irã, Brian Hook, afirmou que a iniciativa iraniana é um “golpe de propaganda”, segundo a France Presse.

“Nossa avaliação é de que a Interpol não intervém e não emite alertas vermelhos baseados em natureza política”, disse Hook ao lado do ministro das Relações Exteriores da Arábia Saudita, Adel al-Jubeir, em Riad.

“Esse é de natureza política. Isso não tem nada a ver com segurança nacional, paz internacional ou promoção da estabilidade. É um golpe de propaganda que ninguém leva a sério”, completou Hook.

Vila italiana oferece estadia grátis a turistas


Os moradores de um vilarejo pacato ao sudeste da Itália, em uma região montanhosa e exuberante, de belezas naturais que faz contato com o mar, têm um convite tentador a viajantes dispostos a circular pelo mundo em tempos de COVID-19: hospedagem gratuita, onde moram cerca de 500 pessoas, lançou essa campanha, que visa estimular o turismo na região. Há muitos imóveis vazios no vilarejo, que devem ser convertidos em habitações para turistas.

O processo é simples. Basta se inscrever via formulário disponível neste link, e enviá-lo para o e-mail amicidelmorrutto@gmail.com. As inscrições serão aceitas mediante ocupação e procura nas datas selecionadas.

Estima-se que 40 estadias gratuitas serão disponibilizadas, entre julho e setembro. Então se você tem planos concretos, é melhor se apressar.

Lembrando que ainda não se sabe oficialmente quando as fronteiras da União Europeia voltarão a se abrir, por conta da pandemia do coronavírus. E quando isso acontecer, ainda não se sabe se elas estarão abertas para visitantes de países com maiores dificuldades em conter a doença, como é o caso do Brasil até agora.

Bispos e pastores da Universal em Angola tomam controle de templos e rompem com direção brasileira

A Universal é liderada pelo bispo brasileiro Edir Macedo e está presente hoje em mais de 95 países
A Universal é liderada pelo bispo brasileiro Edir Macedo e está presente hoje em mais de 95 países

Gilberto Nascimento – De São Paulo para a BBC News Brasil
Um grupo de bispos e pastores da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola informou ter assumido na segunda-feira (22/6) o controle de 35 templos da instituição em Luanda e cerca de 50 em outras províncias do país, como Lunda-Norte, Huambo, Benguela, Malanje e Cafunfo. Os religiosos angolanos declararam ruptura com a gestão brasileira. É um movimento sem precedentes, que começou em novembro de 2019, com a divulgação de um manifesto com críticas à direção da igreja no Brasil.

Em nota oficial, a Igreja Universal do Reino de Deus de Angola afirmou que alguns templos no país foram invadidos “por um grupo de ex-pastores desvinculados da Instituição por práticas e desvio de condutas morais e, em alguns casos, criminosas e contrárias aos princípios cristãos exigidos de um ministro de culto”. A Universal diz, no documento, que os ex-pastores teriam usado a violência e promovido “ataques xenófobos”, além de agredir pastores, esposas de pastores e funcionários “com objetivo de tomar de assalto a igreja, com propósitos escusos”. A Igreja Universal do Reino de Deus é liderada pelo bispo brasileiro Edir Macedo e tem hoje 10 mil templos espalhados em mais de 100 países. Reúne 500 mil fiéis em Angola.

O controle da Universal em Angola será assumido a partir de agora, segundo o grupo rebelado, pelo bispo Valente Bezerra Luiz, então vice-presidente da igreja. Os bispos e pastores dissidentes dizem que a igreja no país passará a ser chamada de Igreja Universal de Angola. Afirmam já ter o comando de 42% dos templos.

Acusações

Os bispos e pastores angolanos acusam a direção brasileira da igreja de evasão de divisas, expatriação ilícita de capital, racismo, discriminação, abuso de autoridade, imposição da prática de vasectomia aos pastores e intromissão na vida conjugal dos religiosos.

Reclamam ainda de privilégios dados aos bispos brasileiros e pedem uma maior valorização do episcopado angolano.

O manifesto elaborado em novembro — com a assinatura de 320 bispos e pastores —, foi encaminhado ao principal líder da igreja no país, o bispo brasileiro Honorilton Gonçalves, ex-vice-presidente da TV Record.

Os religiosos dizem não ter sido atendidos. No manifesto, já pediam aos líderes brasileiros da igreja que deixassem o país para que a instituição passasse a ser administrada apenas por angolanos.

Dinis Bundo, identificado como obreiro da Universal e porta-voz do grupo rebelado, reclamou das benesses aos religiosos brasileiros.

Segundo ele, as melhores igrejas sempre foram designadas aos brasileiros, que seriam beneficiados também com bons salários e carros modernos.Igreja Universal do Reino de Deus iniciou suas operações em Angola em 1992 e tem mais de 230 templos no país

Igreja Universal do Reino de Deus iniciou suas operações em Angola em 1992 e tem mais de 230 templos no país

Resistência

Bundo informou que, além das 35 igrejas em Luanda, os manifestantes passaram a controlar 18 igrejas em Benguela, 14 em Malanje, 10 em Huambo e 8 em Luanda-Norte.

O grupo tomou o controle também da Catedral do Morro Bento e do Cenáculo do Patriota, principais centros religiosos da instituição em Luanda.

Em alguns templos houve resistência. Os religiosos angolanos tomaram as chaves dos estabelecimentos e, em meio a discussões e empurrões, os responsáveis até aquele momento foram expulsos.

Em nota divulgada à imprensa, o corpo de pastores denunciou “atos de arbitrariedades” que estariam sendo praticados pela direção da Universal em Angola.

O bispo Honorilton Gonçalves, segundo a nota, estaria perseguindo, punindo e intimidando bispos e pastores angolanos.

Além da vasectomia imposta a pastores, mulheres dos religiosos estariam sendo obrigadas a abortar, conforme a nota.

Entre outras queixas dos religiosos, o documento denuncia ainda a “falsificação de ata de eleição de órgãos sociais da IURD”, emissão de procurações com plenos poderes a cidadãos brasileiros para exercer atos reservados à assembleia geral, proibição às mulheres de pastores de terem acesso à formação acadêmica-científica e técnico-profissional, irregularidades no pagamento de segurança social dos pastores e falta de projeto de desenvolvimento pastoral em formação teológica específica.

Mentiras

A nota da Igreja Universal afirma que os invasores espalharam “mentiras absurdas, como essa acusação de racismo”, para confundir a sociedade angolana. “Basta frequentar qualquer culto da Universal, em qualquer país do mundo, para comprovar que bispos, pastores e fiéis são de todas as origens e tons de pele, de todas as classes sociais. Em Angola, dos 512 pastores, 419 são angolanos, 24 são moçambicanos, quatro vieram de São Tomé e Príncipe e apenas 65 são brasileiros”, afirma a instituição.

A suposta obrigatoriedade de pastores serem submetidos a cirurgia de vasectomia, segundo a Universal, é um exemplo de fake news “facilmente desmentida pelo fato de que muitos bispos e pastores da Universal, em todos os níveis de hierarquia da Igreja, têm filhos”. O que a Instituição estimula, conforme a nota, “é o planejamento familiar, debatido de forma responsável por cada casal”.

E finaliza: “Esclarecemos que, respeitada a unidade de doutrina da fé que une a Igreja Universal do Reino de Deus em todos os 127 países onde está presente, nos cinco continentes, a Universal de cada nação dispõe de total autonomia administrativa para encaminhar e resolver suas questões locais, sempre observando as leis e as tradições. O que se espera é que as autoridades restabeleçam, com urgência, a ordem legal e possam assegurar que a Universal continue salvando vidas e prestando ajuda humanitária em Angola, como faz há 28 anos”.

Weintraub entrou nos EUA como um contrabando

Os detalhes do envio de Abraham Weintraub para um refúgio dourado no exterior provocam no brasileiro que é obrigado a permanecer no país uma sensação insuportável de exílio, uma nostalgia colossal do Brasil. É como se o capitão e seus sequazes arcaicos quisessem impor aos brasileiros um país do qual nem os cegos conseguem se orgulhar.

Weintraub não viajou para os Estados Unidos. Ele foi contrabandeado. Três dias depois do anúncio de sua demissão, apresentou-se aos agentes alfandegários americanos como ministro da Educação do Brasil. Com isso, livrou-se da quarentena que a administração amiga de Donald Trump impõe aos brasileiros por causa da pandemia.

Só depois da consumação do logro Bolsonaro mandou publicar a demissão de Weintraub numa edição extraordinária do Diário Oficial. Se o viajante fosse uma mercadoria, estaria transitando por Miami como muamba. Tratando-se de uma pessoa, percorre a cidade americana na forma de uma caricatura.

O grotesco foi promovido de um contracheque de ministro (R$ 30,9 mil mensais) para um holerite de diretor do Banco Mundial (R$ 115 mil). Extinguiu o direito do brasileiro ao riso. Poucas vezes o sórdido teve uma aparência tão marcadamente sórdida.

Weintraub voou de sua Pasárgada para o estrangeiro com a pressa de um fugitivo. Ele responde a dois inquéritos no Supremo Tribunal Federal. Num, é processado por ofender os ministros do Supremo: “Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia, começando no STF.”

Noutro, é investigado pelo crime de racismo. Publicou numa rede social mensagem ironizando o modo como os chineses falam português, trocando a letra R pelo L.

Para virar diretor do Banco Mundial, o vexame brasileiro precisa ser referendado por outros oito países. Um abaixo-assinado subscrito por 15 organizações da sociedade e 250 pessoas, entre economistas, ex-ministros, escritores e artistas, pede que a muamba seja devolvida ao Brasil.

JOSIAS DE SOUZA

OMS espera distribuir milhões de doses de vacina contra a covid-19 ainda este ano

A Organização Mundial da Saúde (OMS) espera que centenas de milhões de doses de uma vacina contra o novo coronavírus possam ser produzidas ainda neste ano e outros dois bilhões de doses até o final de 2021, afirmou a cientista-chefe Soumya Swaminathan, nesta quinta-feira, 18.

A OMS está elaborando planos para ajudar a decidir quem deveria receber as primeiras doses quando uma vacina for aprovada, afirmou a cientista. A prioridade seria dada a profissionais da linha de frente, como médicos, pessoas vulneráveis por causa da idade ou outra doença e a quem trabalha ou mora em locais de alta transmissão, como prisões e casas de repouso.

“Estou esperançosa, estou otimista. Mas o desenvolvimento de vacinas é uma empreitada complexa, ele envolve muita incerteza”, disse ela. “O bom é que temos muitas vacinas e plataformas, então, se a primeira fracassar ou se a segunda fracassar, não deveríamos perder a esperança, não deveríamos desistir.”

Cerca de 10 vacinas em potencial estão sendo testadas em humanos, na esperança de que uma possa se tornar disponível nos próximos meses para prevenir a infecção da covid-19. Países já começaram a fazer acordo com empresas farmacêuticas para encomendar doses antes mesmo de se provar que alguma vacina funciona.

Swaminathan descreveu o desejo por milhões de doses de uma vacina ainda neste ano como otimista, acrescentando que a esperança de até dois bilhões de doses de até três vacinas diferentes no ano que vem é um “grande se”.

A cientista afirmou que os dados de análise genética coletados até agora mostraram que o novo coronavírus ainda não passou por nenhuma mutação que alteraria a gravidade da doença que causa.

Estadão Conteúdo

Venezuela denuncia Bolsonaro na ONU por negligência na pandemia da Covid-19

João Conrado Kneipp

O embaixador venezuelano afirma que o regime de Maduro tem tido “profunda preocupação” com o volume de casos confirmados de Covid-19 no Brasil.

O governo da Venezuela denunciou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) na ONU (Organização das Nações Unidas)acusando-o de negligência frente à pandemia do novo coronavírus. A denúncia feita na segunda-feira (15) pelo regime de Nicolas Maduro partiu do embaixador da Venezuela na ONU, Samuel Moncada.
Segundo a carta enviada ao secretário-geral da organização, António Guterres, a Venezuela classificou a atuação de Bolsonaro como irresponsável e destacou sua “negligência criminal” com a pandemia.
O embaixador venezuelano afirma na carta que o regime de Maduro tem tido “profunda preocupação” com o volume de casos confirmados de Covid-19 no Brasil, com destaque para os estados de Amazonas e Roraima, que fazem fronteira com a Venezuela.

“Um fator que causa profunda preocupação a nossa nação é a porcentagem de casos confirmados de Covid-19 na população dos estados fronteiriços brasileiros do Amazonas e Roraima, onde há uma intensa transmissão comunitária do vírus. Em 15 de junho, por exemplo, todos os registros da Venezuela 3.062 casos confirmados, enquanto apenas os dois estados fronteiriços do Brasil tem mais de 62.000 casos confirmados”, alega Moncada.

Suíça tenta encontrar dono de quase R$ 1 milhão em ouro esquecidos em trem

Autoridades pediram que dono se apresente, mas não deixaram claro como farão para comprovar se afirmação é verídica.

BBC

Muitos de nós já perderam alguma coisa em algum trem — como celular, óculos, carteira, fones de ouvido — , mas certamente poucos deixaram para trás em um vagão uma sacola cheia de ouro.

Foi o que uma pessoa fez na Suíça. E as autoridades agora querem saber quem foi.

Elas estão buscando o dono de mais de 3 quilos de ouro, estimados em US$ 191 mil (cerca de R$ 960 mil), deixados em um vagão em outubro do ano passado.

O trem viajava entre as cidades de St. Gallen e Lucerna.

O dono tem até cinco anos para reaver o ouro, segundo uma nota oficial da Promotoria de Lucerna.

A descoberta está sendo revelada agora depois de meses em que a polícia procurou o dono sem obter sucesso.

As autoridades não deixaram claro como irão comprovar a veracidade de quem disser que o ouro é seu.

 

Fazendeiro mais rico do mundo lucrou bilhões com coronavírus


O bilionário chinês Qin Yinglin é o fazendeiro mais rico do mundo, com uma fortuna pessoal de US$ 22 bilhões, equivalente a R$ 112,62 bilhões.

Seu império suíno cresceu muito desde o ano passado com a escassez e o aumento dos preços devido ao surto de gripe suína, em 2019, e também à pandemia de COVID-19.

Yinglin e a esposa, Qian Ying, começaram a criar porcos em 1992, com apenas 22 leitões. Em 2019, eles já tinham mais de 10 milhões de porcos na empresa Muyuan Foods, registrada em Shenzhen.

A carne suína é a mais consumida na China, por isso a demanda é alta, e a redução da oferta por causa do aumento das restrições e da seleção fez os preços dispararem rapidamente.

O surto de gripe suína em 2019 acabou com metade dos porcos da China, provocando um aumento de 160% nos preços. Com isso, o valor das ações da Muyuan Foods aumentou 200% e, em junho do ano passado, a fortuna de Yinglin já tinha duplicado, chegando a US$ 22 bilhões.

A empresa continua forte porque mantém a propriedade de uma alta porcentagem das fazendas, facilitando o controle da higiene e a biossegurança para evitar doenças.

Quando a China começou o lockdown no começo de fevereiro deste ano, o fornecimento de carne suína foi limitado, e o preço das ações da Muyuan acabou subindo 80% entre 3 de fevereiro e 28 de abril. Assim, a fortuna de Yinglin ganhou mais US$ 6 bilhões (R$ 30 bilhões).

No entanto, alguns analistas preveem que o retorno do abastecimento de carne suína na China possa provocar uma redução da fortuna pessoal de Yinglin, sustentada pelos preços excessivos do setor nos últimos anos.

À medida que o surto de gripe suína se estabiliza e o lockdown pelo coronavírus é flexibilizado, os preços da carne de porco estão caindo, e o mercado deve voltar ao normal.

“A sorte [de Muyuan] não vai durar para sempre”, comenta Wilhelm Uffelmann, chefe de consultoria da Roland Berger, consultora de alimentos e agronegócios, para o Financial Times.

No início deste ano, Yinglin afirmou em uma entrevista que a COVID-19 era, em certa medida, uma bênção para os fazendeiros.

“A epidemia vai forçar as empresas e os fazendeiros mais frágeis a desistir, mas será uma oportunidade de lucro e desenvolvimento para as empresas mais fortes”, disse ele.

Lily Canter

Espantoso: modelo usado pela Casa Branca eleva para 125 mil projeção de mortes por Covid-19 no Brasil até agosto


MARINA DIAS

Um dos principais modelos utilizados pela Casa Branca para monitorar números sobre o novo coronavírus atualizou com piora o cenário no Brasil e agora projeta mais de 125 mil mortes no país até agosto.
No meio de maio, quando o IHME, instituto de métrica da Universidade de Washington, divulgou pela primeira vez dados sobre o Brasil, a previsão era de que 88.305 pessoas morressem por Covid-19 até 4 de agosto no país.
Nesta segunda-feira (25), porém, após o crescimento vertiginoso de casos e mortes em território brasileiro nas últimas semanas, e o país ter passado a ser o epicentro da pandemia, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), o instituto americano também atualizou os números para pior.

O modelo usa uma janela de intervalo ampla, que no caso brasileiro variava de 30.302 a 193.786. Agora, esse intervalo está entre 68.311 e 221.078 mortes até 4 de agosto, indicando que a curva continua subindo até lá.

As projeções mostram que o pico de mortes diárias no Brasil deve acontecer em 13 de julho, com 1.526 óbitos em 24 horas. Antes, o pico era em 1 de julho, com 1.024 mortes em apenas um dia.

A partir de agosto, então, a curva de mortes diárias começa a descer, mas ainda na faixa de quase 1,4 mil a cada 24 horas naquele mês.

Com mais de 370 mil casos confirmados, o Brasil escalou para o segundo lugar em diagnósticos no mundo, atrás somente dos EUA, que tem mais de 1,6 milhão.

São mais de 23 mil mortes hoje no território brasileiro. Caso as projeções do IHME se confirmem, o Brasil terá taxa de mortalidade de 63,85 mortes por 100 mil habitantes, atrás apenas de países da Europa que já foram o epicentro da pandemia, como Itália e Espanha.

O cenário é pior que o dos EUA, onde são projetadas 43,71 mortes por 100 mil habitantes.

O instituto fez levantamentos em estados brasileiros como Rio, Bahia, Amazonas, Pernambuco, e também registrou pioras em grande parte das regiões desde o meio do mês. Em São Paulo, por sua vez, as projeções melhoraram e foram de 36 mil para 32 mil mortes esperadas até agosto.

O modelo utilizado pela Casa Branca ganhou notoriedade em 31 de março, quando o presidente Donald Trump fez seu primeiro discurso sombrio e visto como realista durante a pandemia que, inicialmente, ele minimizava. Na ocasião, Trump disse que estavam previstas de 100 mil a 240 mil mortes nos EUA até agosto, mesmo com a adoção das medidas de distanciamento social.

Esses números já foram revisados para baixo e para cima algumas vezes, a depender da flexibilização da curva de transmissão –e do relaxamento das regras de distanciamento social em diversos estados americanos.

Caso o isolamento não fosse cumprido, disse o presidente americano à época, esse número poderia chegar a 2,2 milhões de vítimas.

Naquele momento, os EUA registravam 3.700 mortes, hoje já são mais de 98 mil e 1,6 milhão de casos confirmados.

Continue lendo Espantoso: modelo usado pela Casa Branca eleva para 125 mil projeção de mortes por Covid-19 no Brasil até agosto

EUA decidem barrar estrangeiros que passaram pelo Brasil

A medida anunciada barra estrangeiros que estiveram no Brasil nos últimos 14 dias
Beatriz Bulla, de Washington

O governo americano anunciou neste domingo (24) a proibição da entrada de viajantes estrangeiros provenientes do Brasil.
A ameaça de limitar voos vindos do País vinha sendo mencionada publicamente pelo presidente americano, Donald Trump, desde o final de abril. Na sexta-feira, no mesmo dia em que a Organização Mundial da Saúde classificou a América Latina como novo epicentro do vírus, dando destaque ao Brasil, a Casa Branca e o Departamento de Estado americano concordaram em oficializar a restrição, como antecipou o Estadão.

A medida anunciada barra estrangeiros que estiveram no Brasil nos últimos 14 dias. A restrição passa a valer a partir das 23h59, no horário de Nova York, do dia 28 de maio. Ainda podem entrar no país aqueles que possuem residência permanente nos EUA, além de cônjuges, filhos e irmãos de americanos e de residentes permanentes. Estrangeiros que possuem visto específicos, como os que representam outros governos, também estarão excluídos da restrição.

Oxford testará vacina anti-Covid em crianças e idosos

Candidata é uma das mais promissoras para combater coronavírus.


A Universidade de Oxford, no Reino Unido, incluirá crianças e idosos nos testes em humanos de uma vacina contra o novo coronavírus desenvolvida em parceria com a empresa italiana de biotecnologia Advent-IRBM.
A primeira fase dos testes clínicos, iniciada em abril, envolveu mil adultos de até 55 anos, e agora a universidade pretende recrutar mais 10,2 mil voluntários, incluindo crianças de cinco a 12 anos e adultos com mais de 55.

Os voluntários serão divididos em dois grupos e receberão uma ou duas doses da candidata a vacina ChAdOx1 ou de outra já autorizada, e os pesquisadores vão comparar o índice de infecção em cada um.

Essa etapa, segundo a BBC, pode durar de dois a seis meses, dependendo de quantas pessoas forem expostas ao novo coronavírus. Oxford já tem um acordo com a multinacional sueco-britânica AstraZeneca para a produção e distribuição da vacina em nível mundial – as doses de testagem foram feitas pela Advent-IRBM.

Na última quinta-feira (21), a AstraZeneca disse ter obtido um financiamento de US$ 1 bilhão do governo dos Estados Unidos para a vacina e que já tem acordos que garantem a produção de pelo menos 400 milhões de doses, com os primeiros lotes previstos para setembro, caso os testes deem resultado positivo.

A vacina se baseia em um adenovírus de chimpanzés contendo a proteína spike, usada pelo coronavírus Sars-CoV-2, causador da covid-19, para agredir as células humanas.

Covid-19: Pobreza aumenta casos de sexo em troca de moradia

Um número crescente de proprietários de imóveis está pedindo sexo em troca de um teto aos inquilinos.
Amber Milne

LONDRES (Thomson Reuters Foundation) – Um número crescente de proprietários de imóveis está pedindo sexo em troca de um teto aos inquilinos agora que os isolamentos do coronavírus e a perda de empregos estão tornando difícil para muitos pagar o aluguel, dizem especialistas em moradia.

Uma pesquisa da Aliança Nacional pela Moradia Justa (NFHA) com mais de 100 grupos que pleiteiam moradia justa e combatem a discriminação nos Estados Unidos descobriu que 13% deles viram um aumento de denúncias de assédio sexual durante a pandemia de coronavírus.

“Se eu não fizesse sexo com ele, ele me colocaria para fora”, disse uma mulher, cujo proprietário do imóvel a ameaçou de despejo, à NFHA, em um podcast no site da entidade. “Sendo mãe única, não tive escolha. Não queria perder minha moradia”.

O sexo como forma de pagamento do aluguel vem sendo cada vez mais investigado nos EUA e no Reino Unido nos últimos anos em meio aos custos crescentes da habitação. Instituições de caridade ressaltam um aumento de anúncios na internet oferecendo acomodações sem aluguel em troca de favores sexuais.

Em meio à pandemia do novo coronavírus, milhões de pessoas de todo o mundo perderam empregos ou rendimentos, já que isolamentos e restrições de viagem forçaram muitos negócios a fecharem as portas.

Autoridades da América do Norte e da Europa instituíram benefícios em dinheiro, congelamentos de aluguéis e moratórias de despejos na tentativa de proteger pessoas do desabrigo.

“Pessoas que são muito vulneráveis quando se deparam com um despejo, especialmente durante uma pandemia, às vezes elas enfrentam escolhas impossíveis”, disse Morgan Williams, conselheiro-geral da NFHA, que protege inquilinos da discriminação habitacional.

“Os predadores no contexto habitacional… aproveitam esta vulnerabilidade”, disse ele à Thomson Reuters Foundation.

Os dados sobre a cobrança do sexo por proprietários de imóveis são escassos. Como a conscientização do problema é limitada, além de existirem ambiguidades legais que fazem com que vítimas enfrentem acusações de prostituição, os abusos muitas vezes não são relatados ou punidos, segundo especialistas em moradia.

Uma pesquisa de 2018 da instituição de caridade habitacional Shelter England revelou que cerca de 250 mil mulheres inglesas receberam propostas de favores sexuais em substituição aos aluguéis nos últimos cinco anos.

Wera Hobhouse, parlamentar britânica que faz campanha contra a “sextorção” – o abuso de poder para fins sexuais – disse que o sexo por aluguel provavelmente está aumentando porque as pessoas querem desesperadamente ficar em casa durante o isolamento.

Mundo ultrapassa marca de 5 milhões de infectados por coronavírus

Já foram registradas mais de 328 mil mortes pela covid-19; dados são de levantamento em tempo real da Universidade Johns Hopkins.

O número de casos confirmados do novo coronavírus ultrapassou a marca de 5 milhõesna madrugada desta quinta-feira, 21. Até o momento, já foram registradas mais de 328 mil mortes por covid-19. Os dados são de levantamento em tempo real da Universidade Johns Hopkins.
O vírus, surgido na cidade de Wuhan, na China, no fim de 2019, já atingiu 188 países em todo o planeta.

A marca foi atingida após a Organização Mundial da Saúde (OMS) ter reportado, na quarta-feira, o maior número de casos de covid-19 em um único dia desde o início da pandemia.