Arquivo da categoria: Politica

Mais uma do PSL: Polícia Federal diz que deputado do PSL usou mãe e irmão como laranjas em acordo com empresa

O partido do Coronel da vereadora Nilda candidata a prefeita de Parnamirim tem sido um péssimo exemplo, um antro de denunciados.
Folha mostra como o agora deputado federal agiu quando assumiu posto na PF, como delegado, para atuar na Copa do Mundo em Manaus.
O deputado do PSL era delegado da Polícia Federal, pode?

O jornal Folha de S.Paulo desta terça-feira, dia 11, usou o espaço de três notas de sua mais importante coluna de política para noticiar uma investigação da Polícia Federal contra o deputado federal Delegado Pablo Olivar (PSL-AM).

Segundo o impresso, Pablo, como policial, nomeado coordenador de segurança para Grandes Eventos, em 2012, para atuar na Copa do Mundo de 2014, em Manaus, usou a mãe e um irmão como laranjas para fechar acordo com o consórcio Engevix-Encalso-Kallas, responsável pela reforma do aeroporto de Eduardo Gomes.

“Na mesma época, sua mãe e irmão criaram empresa que receberia R$ 1,2 milhão para plantar mudas no aeroporto. Eles não tinham experiência prévia”, diz uma das notas reportando-se a fatos ocorridos em 2012.

A Folha acrescenta que, além de ter atuado irregularmente no negócio, Delegado Pablo recebeu pagamento e não concluiu o serviço.

“Segundo a investigação, Pablo comandava a empresa sozinho — o que não é permitido a um policial federal. Além disso, o serviço pago não foi concluído e os custos com fornecedores não chegaram a 10% do que foi pago pelo consórcio. A PF pediu sequestro dos bens do deputado à Justiça. O deputado tem negado as acusações”.

A Folha acrescenta que, além de ter atuado irregularmente no negócio, Delegado Pablo recebeu pagamento e não concluiu o serviço.

“Segundo a investigação, Pablo comandava a empresa sozinho — o que não é permitido a um policial federal. Além disso, o serviço pago não foi concluído e os custos com fornecedores não chegaram a 10% do que foi pago pelo consórcio. A PF pediu sequestro dos bens do deputado à Justiça. O deputado tem negado as acusações”.

Fruta Investigação da Polícia Federal afirma que o deputado bolsonarista Delegado Pablo (PSL-AM) usou mãe e irmão como “laranjas” para fechar acordo com o consórcio Engevix-Encalso-Kallas, responsável pela reforma do aeroporto de Manaus. Os crimes teriam começado em 2012.

Coincidiu O deputado, policial federal, foi nomeado coordenador de segurança em Grandes Eventos em 2012, e deveria atuar durante a Copa e a Olimpíada. Na mesma época, sua mãe e irmão criaram empresa que receberia R$ 1,2 milhão para plantar mudas no aeroporto. Eles não tinham experiência prévia.

Finanças Segundo a investigação, Pablo comandava a empresa sozinho —o que não é permitido a um policial federal. Além disso, o serviço pago não foi concluído e os custos com fornecedores não chegaram a 10% do que foi pago pelo consórcio. A PF pediu sequestro dos bens do deputado à Justiça. O deputado tem negado as acusações.”

Mais uma encrenca do sempre suspeito PSL

Sede do PSL do RN

Investigação da Polícia Federal afirma que o deputado bolsonarista Delegado Pablo (PSL-AM) usou mãe e irmão como “laranjas” para fechar acordo com o consórcio Engevix-Encalso-Kallas, responsável pela reforma do aeroporto de Manaus. Os crimes teriam começado em 2012.

Coincidiu O deputado, policial federal, foi nomeado coordenador de segurança em Grandes Eventos em 2012, e deveria atuar durante a Copa e a Olimpíada. Na mesma época, sua mãe e irmão criaram empresa que receberia R$ 1,2 milhão para plantar mudas no aeroporto. Eles não tinham experiência prévia.

Finanças Segundo a investigação, Pablo comandava a empresa sozinho —o que não é permitido a um policial federal. Além disso, o serviço pago não foi concluído e os custos com fornecedores não chegaram a 10% do que foi pago pelo consórcio. A PF pediu sequestro dos bens do deputado à Justiça. O deputado tem negado as acusações.

PAINEL FOLHA

Brasileira que organizava atos para Bolsonaro em Nova York joga a toalha: “foi só mais um que se vendeu”


DCM

Pitta Macedo, uma mineira que mora em New Jersey, Estados Unidos, e organizou manifestações em favor de Jair Bolsonaro em Nova York, é mais uma bolsominion arrependida.

“Há um tempo atrás eu me vestia, com orgulho, e convencia amigos e familiares que a gente tinha a esperança de um país melhor, que esse cara faria tudo diferente, mas foi só mais um que se vendeu, e mentiu !! Hoje luto contra minha decisão de 2018!”, escreveu no Facebook.

Ela, que é seguida por quase 57 mil pessoas, foi apoiada pela maioria dos que comentaram sua postagem, feita ontem.

E Bolsonaro já ganhou um novo apelido entre os eleitores arrependidos: “Minto”.

“Tua ficha demorou a cair mesmo eu te avisando. Mas fico feliz de enxergares tudo que vejo tão claramente. Sofremos uma fraude eleitoral. O MINTO enganou todos nós! É amigo do centrão e dos bandidos condenados na lava jato”, destacou Ana Cláudia, que apareceu naquele vídeo da campanha de 2018 em que se dizia “robô de Bolsonaro”.

Ruth Lea Kay, que apesar do nome é brasileira e mora nos Estados Unidos, também se disse bolsominion arrependida.

“Verdade, foi nesta luta pelo Brasil, que nós nos conhecemos em NYC. Tantas lutas pra dar em nada! Este safado não tinha tabuleiro na testa!”, comentou, na postagem em que Pitta lembra que organizou atos em favor de Bolsonaro.

“Olhando a boiada passar”, escreveu.

Hoje, ela voltou a atacar o antigo ídolo.

“O silêncio dos Bolsonaros sobre os cheques que o Queiroz depositou na conta da primeira dama é ensurdecedor e constrangedor”, afirmou.

Ms se engana quem acredita que, se voltasse no tempo e pudesse votar de novo em 2018, ela escolheria Fernando Haddad no segundo turno.

A ativista é fechada com Moro e a Lava Jato, e provavelmente por isso é que apoiou Jair Bolsonaro, o candidato que a força-tarefa de Curitiba favoreceu, com a investigação dirigida a Lula e ao PT, como mostra o mais recente capítulo da Lava Jato.

E a decepção será enorme quando constatarem que, se Bolsonaro tem Queiroz, Moro tem Carlos Zucolotto Júnior, o primeiro amigo do ex-juiz.

Segundo o advogado Rodrigo Tacla Durán, Zucolotto vendeu facilidades em acordo de delação premiada e tomou 612 mil dólares (quase 3,5 milhões de reais) de um acerto de 5 milhões de dólares.

Os sinais de que Moro não é o Messias que Bolsonaro fingiu ser está nas mãos da próprio esposa dele, Rosângela Moro, que já apareceu em público com bolsa de R$ 15 mil.

Jefferson diz que Maia, Alcolumbre, Gilmar e Alexandre de Moraes fazem parte de uma organização criminosa

Jefferson com o presidente do PTB do RN Getúlio Batista

Em mais um ataque sem pé nem cabeça, Roberto Jefferson joga tucanos, petistas, Mandetta, Gilmar e Maia no mesmo balaio e os acusa de ser uma organização criminosa.

Para ele, o grupo “é um verdadeiro bonde do mal”.

“Uma organização criminosa numerosa que quer tomar o poder”.

O Patriota, partido com seis deputados usou dinheiro público para comprar carro de R$ 260 mil

Reunião do Patriota do RN

O Brasil tem um rombo bilionário nas contas públicas. Estados e municípios atrasam salários de servidores e, sem dinheiro para as mais básicas necessidades, ameaçam quebrar. Esse cenário de penúria acentuada, porém, não impediu que um partido como o nanico Patriota usasse R$ 260 mil do dinheiro público para comprar, à vista, uma Mitsubishi Pajero Sport zero km.

Uma das mais minúscilas siglas da Câmara, com apenas seis deputados, o Patriota (ex-Partido Ecológico Nacional) apregoa como uma de suas bandeiras a eficiência na gestão pública, com o menor gasto possível para a promoção de bens e direitos, e a “verdadeira austeridade fiscal com busca ao déficit nominal zero”.

A sua prestação de contas relativa a 2019, porém, aponta a aquisição de cinco carros. Além da Pajero de R$ 260 mil, foram outros quatros veículos, a preços unitários de R$ 29 a R$ 124 mil. Ao todo, desembolsou R$ 644 mil de verba pública na compra de carros.

Aras defendeu que perfis bolsonaristas bloqueados por decisão de Moraes fazem ‘crítica legítima’


Em manifestação anterior à decisão da suspensão das contas nas redes sociais de bolsonaristas no âmbito do inquérito das fake news por Alexandre de Moraes, o Procurador-Geral da República, Augusto Aras, defendeu as publicações consideradas criminosas pelo ministro do STF.

Aras as classificou como “crítica legítima”. Ele indicou a ministros da Corte que deve manter o posicionamento ao tratar dos recursos de Facebook e Twitter no STF sobre o bloqueio de perfis fora do Brasil.

Na manifestação de maio, Aras diz que “a livre circulação de ideias e o debate público são fundamentais para a a garantia de uma sociedade aberta”. Ele argumenta que a liberdade de expressão, assim como as liberdades de imprensa e de cátedra, são freios a “eventuais ímpetos autoritários”.

Ele ainda diz que o bloqueio dessas contas, como viria a ser determinado por Alexandre de Moraes, seria medida desproporcional.

O inquérito das fake news apura a disseminação de conteúdo falso e ameaças a ministros do STF nas redes sociais.Figuras como o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB), o blogueiro Allan dos Santos e os empresários Luciano Hang (da Havan) e Edgard Corona (das academias Smart Fit), alvos de investigação no âmbito do inquérito, tiveram suas contas suspensas.

Em junho, ao votar pela continuidade e pela legalidade do inquérito, Moraes leu mensagem em que incitavam o estupro das filhas de ministros e disse que essa “bandidagem” não é liberdade de expressão “em nenhum lugar do mundo”.

PAINEL / FOLHA

Com 100 mil mortos pela Covid, Bolsonaro quebra silêncio, critica isolamento e a Globo

Bolsonaro só quer conversa com Silvio Santos o sogro do ministro das Comunicações, Fábio Faria

RICARDO DELLA COLETTA
Um dia depois de o Brasil ter superado 100 mil mortos pelo novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender ações do governo federal tomadas durante a pandemia, criticou o isolamento social radical (‘lockdown’) e acusou falsamente a rede Globo de ter “festejado” no sábado (8) a marca simbólica de vítimas da Covid-19.
O Brasil se consolidou como um dos epicentros da transmissão do vírus no mundo. O país beira os 3 milhões de casos registrados, segundo dados coletados com as secretarias estaduais da saúde pelo consórcio formado por Folha de S. Paulo, UOL, O Estado de S. Paulo, Extra, o Globo e G1.

Continue lendo Com 100 mil mortos pela Covid, Bolsonaro quebra silêncio, critica isolamento e a Globo

Bolsonaro convida e Temer aceita comandar missão brasileira de ajuda ao Líbano

Foto: reprodução/CNN Brasil

Em participação da reunião virtual convocada na manhã deste domingo (8) com líderes globais para angariar recursos para a reconstrução de Beirute, Jair Bolsonaro afirmou que “o Brasil não foge a sua responsabilidade” e que mandará insumos e remédios ao Líbano, por meio do avião das Forças Armadas.

“Em um momento que requer a união de esforços internacionais, apresento minhas condolências e solidariedade em nome do povo brasileiro”, disse Bolsonaro. “O Brasil é um dos países que mais recebeu libaneses no mundo e, por essa razão, tudo o que afeta ao Líbano, nos afeta como se fosse o nosso próprio lar e pátria.”

O discurso de Bolsonaro foi proferido ao longo da reunião virtual convocada pelo presidente francês Emmanual Macron. Para mostrar sua participação, Bolsonaro entrou ao vivo no Facebook para mostrar a sua participação na reunião. Na quarta-feira (5), ele havia declarado que o país ajudaria o Líbano com “algo concreto”.

Bolsonaro disse ainda que convidou o ex-presidente do Brasil, Michel Temer (MDB), para integrar e chefiar a comitiva brasileira que enviará ajuda ao Líbano. Temer é filho de libaneses.

Em nota, o ex-presidente Michel Temer se disse “honrado” com o convite e disse que, “quando o ato for publicado no Diário Oficial, serão tomadas as medidas necessárias para viabilizar a tarefa”.

Além do envio de insumos por avião, Bolsonaro revelou que o Brasil mandará ajuda marítima com 4 mil toneladas de arroz para, de acordo com o presidente, “atenuar a perda no país”, bem como uma equipe técnica para auxiliar na apuração e entender o que de fato provocou a explosão.

“Estamos e sempre estaremos ao lado dos nossos irmãos e amigos libaneses. Saibam que podem contar permanentemente com o Brasil”, afirmou Bolsonaro.

Também participam da conferência o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e líderes de países da Europa e do Oriente Médio. Há também representante da Organização das Nações Unidas (ONU). O presidente do Líbano, Michel Aoun, também participa do encontro.

Com informações de CNN Brasil e O Antagonista

Primando pelo Voto: Bolsonaro diz que nãoterá candidatos nestas eleições

Primando pelo Voto
Devido à pandemia do coronavírus, a votação em primeiro turno para o pleito municipal foi adiada para 15 de novembro.
 Bolsonaro aconselhado a não apoiar candidatos nesta eleição, segundo especialistas, no Nordeste ele atrapalha. Presidente com Silvio Santos e seu ministro das Comunicações Fábio Faria.

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado, 8, em sua conta oficial no Facebook, que não pretende se envolver na disputa em primeiro turno das eleições municipais. “Não pretendo participar das eleições municipais no 1º turno”, afirmou.

Na publicação, o presidente disse que esse assunto foi pauta no café da manhã com o diretor do Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo.