Defesa de Lula diz que Moro não é “sereno” e que espera julgamento isento sobre tríplex

Resultado de imagem para advogado Cristiano Zanin Martins

UOL

Barbosa e Nathan Lopes

O advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em processos da Operação Lava Jato, disse esperar um julgamento isento na segunda instância sobre o chamado caso do tríplex. O TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região), sediado em Porto Alegre, analisará o assunto em sessão marcada para o dia 24.

A confirmação da punição pode tornar Lula inelegível — ele é líder em pesquisas eleitorais sobre intenções de voto para o pleito presidencial — e até mesmo levá-lo à prisão. Na primeira instância, ele foi condenado a nove anos e meio de prisão pelo juiz Sergio Moro. O petista nega as acusações.

A declaração de Zanin Martins foi dada em entrevista ao UOL , ontem, quinta-feira (11), em São Paulo, em que disse esperar um tratamento “respeitoso e cordial” dos desembargadores do TRF-4. Segundo ele, isso não ocorreu na primeira instância, onde teria havido uma “animosidade descabida” em relação a Lula e sua defesa.

Para o advogado de Lula, a sentença de Moro faz referências em vários momentos “a situações que envolveram o juiz e a defesa, o que mostra, na verdade confirma, que ali não estava um juiz isento e sereno, mas um juiz que estava afetado de alguma forma por embates ou discussões havidas em audiência.” Na visão de Zanin Martins, isso “reforça que a sentença foi proferida por alguém que não tinha a necessária imparcialidade.”

Comentários