Em disputa de guarda, juíza deixa o cão dar ‘veredicto’

Julgamentos sobre disputa de guarda são sempre delicados. Pensando no bem-estar do alvo da batalha, a juíza aposentada  Judith Sheindlin deixou que o próprio cãozinho decidisse com quem gostaria de ficar.

Baby Boy era disputado por uma mulher que dizia ter comprado o animalzinho de uma pessoa e por um homem que afirmava ser o tutor, e que não havia autorizado nenhuma venda.

Para acabar com o impasse, a juíza –famosa nos Estados Unidos por mediar uma espécie de reality show–, mandou que soltassem o cachorrinho no meio do julgamento. Ele passou pela mulher e pulou, muito alegre, nas pernas do homem que pedia sua guarda.

Diante da cena,  a juíza bateu o martelo: “leve o cachorro para casa”, disse ela ao homem.

O caso foi mostrado no programa de televisão “Judge Judy” em 2002, segundo a imprensa local, e o vídeo  viralizou nos últimos dias.

As decisões tomadas pela juíza aposentada no programa não têm valor legal, mas as pessoas que participam se comprometem em acatar as sentenças.

Comentários