Maduro condena “golpe oligárquico da direita” e congela relações com o Brasil

Do UOL, em São PauloMaduro e Dilma em julho de 2015O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou nesta quarta-feira (31) que o país congelará as relações com o governo brasileiro após a cassação do mandato de Dilma Rousseff. Maduro afirmou que o processo de impeachment foi um “golpe oligárquico da direito” e se disse solidário “a Dilma e ao povo do Brasil”. “Quem luta vence”, escreveu Maduro no Twitter.

Em nota oficial, o governo venezuelano disse que retiraria definitivamente seu embaixador no Brasil e congelaria “as relações políticas e diplomáticas com o governo originado neste golpe parlamentário”. “Da mesma forma, iniciaremos um conjunto de consultas para apoiar o povo desta nação irmã, que viu seu sistema democrático se vulneralizar e está desesperançoso em suas conquistas socioeconômicas”.

Na mesma nota, o governo venezuelado disse que “as oligarquias políticas e empresariais, que em em aliança com setores imperialistas consumaram o golpe de Estado contra a presidenta Dilma Rousseff, recorreram a artimanhas jurídicas sob o formato de crime sem responsabilidade para ascender ao poder pela única via possível: a fraude e a imoralidade”.

Comentários