‘Não sou candidato a nada, nem a governador’, diz Doria em Lisboa

Auditório de seminário em Lisboa lotou com palestra do prefeito João Doria, solicitado para fazer selfies GIULIANA MIRANDA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, EM LISBOA

O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), voltou a criticar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Partido dos Trabalhadores.

As declarações foram feitas durante passagem por relâmpago por Portugal para participar do 5º Seminário Luso-Brasileiro de Direito, organizado em Lisboa pelo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes.

“O Lula toda hora alfineta a população brasileira, mentindo e dizendo que vai voltar para salvar o Brasil. Salvar do quê? Dos três anos de recessão que ele e Dilma Rousseff entregaram de presente? Salvar os 13 milhões de desempregados que ele deixou na rua, os trabalhadores que ele devia defender?”, disse o tucano, em conversa com jornalistas depois do evento.

O prefeito aproveitou para criticar a corrupção no Brasil, afirmando que “R$ 8 billhões foram surrupiados” da Petrobras, além de mais R$ 42 bilhões de outras estatais.

“O maior assalto ao dinheiro público da história”, classificou.

João Doria voltou a falar que Lula deveria viajar para Curitiba, em uma alusão às complicações do petista com a Lava Jato e o juiz Sergio Moro.

“Lula quer salvar a imagem brasileira que ele colocou no chão internacionalmente? Ah, Lula, vá visitar Curitiba que você vai se dar melhor lá”, finalizou.

NEGOU CANDIDATURA

Apesar das críticas ao PT e ao ex-presidente Lula, o tucano negou que vá se candidatar a alguma coisa.

“Não sou candidato a nada, nem a governador nem a presidente da República. Sou candidato a ser um bom prefeito da minha cidade, a agir de forma correta, inovadora, honesta e transparente. É assim que vou dar a minha demonstração que o Brasil não precisa de Lula e não precisa de PT”,

Comentários