soldado vasco

Deputado Kelps Lima faz alerta sobre violência crescente no município de Macaíba

O deputado Kelps Lima (SDD) afirmou que a onda crescente de violência em Macaíba, com constantes ocorrências de assassinatos, são frutos da “ausência do Estado”.  O pronunciamento do parlamentar foi na sessão plenária desta quinta-feira (16).

“O olhar estadual para Macaíba é de curral eleitoral, apesar da cidade ser um pólo de desenvolvimento e ter um distrito industrial forte. Por conta da falta de mão-de-obra qualificada, a maioria dos empregos não fica entre os macaibenses e assim o tráfico de drogas vicia e emprega”, falou Kelps.

A falta de planejamento estratégico entre os gestores também foi citada pelo deputado como um agravante do problema. Kelps citou dados revelando que dos cinco mil empregos gerados no Distrito Industrial, menos de 15% ficam entre os macaibenses.

Leia Mais

Briga no Gabinete Civil do governo Robinson Faria

Segundo o xerife, Robson Pires, circula nos corredores da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte que a secretária-chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha, Já não mais aguenta as pressões que está passando patrocinadas pelo deputado estadual, Fernando Mineiro.

Já o deputado Fernando Mineiro não estaria mais aguentando a intransigência de Tatiana.

A secretária-chefe do Gabinete Civil já brigou com o deputado estadual, José Dias no inicio do governo quando ele era líder do governo.

O governador Robinson Faria deverá se pronunciar nos próximos dias.

Leia Mais

Venezuela recebe mais de US$ 5 bilhões emprestado pela China

Num aparente alívio para os cofres públicos da Venezuela, a China emprestou mais US$ 5 bilhões ao governo do presidente socialista Nicolás Maduro.

O empréstimo, anunciado na noite de domingo (19) por Maduro, é parte de um acordo pelo qual Caracas reembolsa suas dívidas despachando petróleo para a China, que carece dos recursos naturais para sustentar sua economia.

Pequim já emprestou US$ 47 bilhões a Caracas no âmbito deste pacto, firmado em 2007 sob o governo do então presidente Hugo Chávez.

O empréstimo adicional surge num momento em que a Venezuela se tornou um dos países mais afetados pela queda dos preços petroleiros, causada por uma oferta abundante no mercado.

O barril venezuelano fechou a semana passada em US$ 50, contra US$ 90 em setembro –e US$ 98 em 2013.

Este cenário é desastroso para um país onde o petróleo responde por nove de cada dez dólares arrecadados e que precisa destes mesmos dólares para importar quase tudo o que consome.

Leia Mais

Surto de infeccioso tem lotado hospitais de urgência e emergência de Natal

Com  sintomas parecidos com a dengue ou febre chikungunya, é uma virose que provocou um aumento na procura por ajuda médica em Natal. A confusão gerada pela semelhança com as duas doenças trouxe medo à população, que lota os setores de urgência e emergência dos hospitais das redes pública e privada, mas conforme especialistas, não oferece riscos de morte.

Os sintomas comuns são as dores de cabeça e pelo corpo, mal-estar e a coceira, que se torna intensa até insuportável e que só piora com o aumento do calor e a umidade. Seu diagnóstico é clínico, baseado na visualização e constatação dos sintomas. Já seu tratamento é sintomático, feito principalmente com antitérmicos, analgésicos, anti-histamínicos e bastante hidratação.

Leia Mais

Os caciques estão doidos para entrarem no governo de Robinson

Aqui nesta foto, todos caciques do acordão foram derrotados

O governador, Robinson Faria tem que tomar cuidado.

Os caciques já estão fazendo sinais de fumaça para entrarem no governo.

Nos últimos dias a cacicada mandou recados de todo jeito, o senador, José Agripino e o bebê cacique, filho do senador, Garibaldi Alves, deputado federal, Walter Alves declararam na imprensa que seus mandatos estão a disposição do governador. O  candidato derrotado ao governo, Henrique Alves preparou uma recepção calorosa para Robinson em sua posse no Ministério do Turismo.  Tudo em nome dos interesses do Estado. Se eles realmente fossem republicanos teriam ajudado o governo de Rosalba.

A coisa começa assim, eles se colocam numa condição republicana e depois, pachorrentamente, levam o governo para um desgaste profundo.

Um bom governo não deve ter medo de oposição, pelo contrário, oposição faz bem abrindo os olhos do governador.

Os caciques potiguares tem horror em fazer oposição. assim como entraram nos governo de Wilma e Rosalba, querem estrar no atual.

Robinson, se não tiver cuidado pode ir no caminho de Wilma , que ganhou com os novos e foi governar com as oligarquias.

Leia Mais

Fidel Castro vota em eleições municipais em Cuba

ANSA

Em Havana 20/04/2015

Aos 88 anos, Fidel Castro registrou seu voto para as eleições municipais em Cuba

Apesar do voto não ser obrigatório em Cuba, até mesmo o ex-ditador Fidel Castro, 88, participou das eleições municipais realizadas neste domingo (19).

De acordo com a imprensa estatal local, Fidel votou de sua residência, em Havana. Como prevê a legislação, um representante de sua zona eleitoral buscou o voto e o depositou em uma urna instalada na Plaza de la Revolución.

Pleito

As autoridades eleitorais cubanas divulgaram que mais de 6,4 milhões de pessoas votaram, o que representa cerca de 76% dos eleitores do país.

Os representantes escolhidos serão “delegados” que representam as regiões onde moram diante de problemas da comunidade local.

Eles fazem parte das chamadas Assembleias Municipais do Poder Popular.

Opositores

Dois opositores entraram na corrida eleitoral pela primeira vez em Cuba, apesar de terem admitido derrota nas urnas. Hildebrando Chaviano, de 65 anos, e Yuniel López, de 26, foram escolhidos em uma espécie de eleição primária para representar bairros da região da capital, Havana.

Apesar de os dois se definirem como opositores ao regime castrista, nenhum deles participa de qualquer espécie de grupo dissidente.

Leia Mais

Deputado Tomba Faria alerta prefeitos sobre novos prazos de contratos com Governo

O deputado Tomba Farias (PSB) destacou o problema da falta de pagamento das obras públicas do Governo Federal e alertou aos gestores, durante pronunciamento realizado na manhã da quinta-feira (16),  que municípios sem medições apresentadas à Caixa Econômica Federal até o mês de junho terão contratos cancelados.

“Fui pego de surpresa. É importante, com urgência, que prefeitos e secretários corram com seus projetos. E é preciso discutir o Pacto Federativo. Ou divide-se bem os recursos com os municípios ou vamos passar por problemas urgentes. Os municípios estão falidos. Todos os custos são passados para os municípios. [O Pacto Federativo] Tem que vir para ficar, tem que ser distribuído de forma que os municípios tenham acesso e o Governo Federal sobreviva”, defendeu o deputado.

Tomba Farias cita como exemplo as motoniveladoras e caçambas do PAC onde os municípios arcam com combustível e manutenção e ainda citou que várias obras estão paralisadas por falta de repasse do Governo Federal. Em aparte, o deputado Kelps Lima (SDD) criticou a administração da máquina pública.

Leia Mais

Palocci recebeu R$ 12 mi quando coordenava campanha de Dilma, diz revista

Segundo a revista Época, ex-ministro atribuiu repasses a serviços prestados por sua consultoria ao Pão de Açúcar, à Friboi e à Caoa em 2010. Empresas contestam versão, diz revista

 

O ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil Antonio Palocci recebeu R$ 12 milhões de grandes empresas em 2010, quando coordenava a primeira campanha presidencial de Dilma Rousseff. Os pagamentos foram feitos em nome de sua consultoria, a Projeto.De acordo com a revista Época, investigação sigilosa do Ministério Público Federal indica que não há comprovação de que os serviços foram prestados em troca da remuneração.

Entre as movimentações consideradas suspeitas pelos investigadores, estão R$ 5,5 milhões repassados pelo ex-ministro da Justiça no governo Lula Márcio Thomaz Bastos, falecido ano passado. O valor foi transferido em 11 pagamentos sem a existência de contrato, relata a reportagem. Um deles, no valor de R$ 1 milhão, efetuado no dia em que o petista foi confirmado ministro-chefe da Casa Civil.

Segundo os advogados de Márcio Thomaz Bastos e de Palocci, os repasses se referem a uma consultoria da Projeto sobre o processo de fusão entre o grupo Pão de Açúcar e as Casas Bahia.Época destaca que a empresa contratada pelo grupo de Abílio Diniz para tratar do assunto negou que Palocci tenha prestado qualquer serviço.

Também são considerados suspeitos pelos procuradores os repasses de R$ 6,5 milhões feitos ao ex-ministro pelo grupo JBS, gigante da indústria de carne, e pela Caoa, rede de concessionárias e importadora oficial da Hyundai e da Subaru no Brasil. Segundo a reportagem, mesmo após ouvido pelo Ministério Público Federal, Palocci não conseguiu comprovar que prestou serviços às empresas, o que reforça os indícios de que as consultorias eram de fachada.

Leia Mais

Mensalão tucano se arrasta há 10 anos e pode beneficiar mais envolvidos com prescrições

Após 10 anos parado na Justiça, mais réus devem ser beneficiados com prescrições em Minas Gerais no julgamento do Mensalão Tucano

O início das investigações do mensalão tucano, ou do PSDB como preferem alguns, completa dez anos em 2015. A apuração, porém, não gerou nenhuma condenação, mesmo com o caráter adiantado de algumas ações penais. O caso se arrasta na Justiça de Minas Gerais, que recebeu do Superior Tribunal Federal (STF), há mais de um ano, a tarefa de julgar os envolvidos no escândalo.
O processo apura os crimes de peculato (desvio de recursos públicos) e lavagem de dinheiro, ocorridos durante a campanha à reeleição do ex-governador Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998. Na última sexta-feira (17), a juíza Melissa Pinheiro Costa Lage, da 9.ª Vara Criminal de Belo Horizonte, declinou da competência e determinou a remessa de uma das ações penais – a que envolve o economista José Afonso Bicalho – para o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG).
Bicalho foi nomeado secretário estadual da Fazenda neste ano pelo atual governador Fernando Pimentel (PT). Ao assumir o cargo de secretário em janeiro, ele passou a gozar de foro privilegiado e só pode ser processado criminalmente no tribunal. A ação a que Bicalho responde tem outros sete réus, entre eles Marcos Valério, que cumpre pena de 37 anos de prisão em regime fechado pela condenação no mensalão federal, do PT.
O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) deu parecer favorável à remessa da ação para o tribunal, que poderá decidir sobre eventual desmembramento do processo em relação aos outros réus sem foro privilegiado. “Aguardo o desmembramento, espero que aconteça”, disse o promotor João Medeiros.
Se isso ocorrer, o andamento do caso pode se arrastar ainda mais, levando ao benefício para alguns dos citados. Denunciados nesta mesma ação penal, o ex-ministro Walfrido dos Mares Guia e Cláudio Mourão, ex-tesoureiro da campanha de Azeredo, dois personagens centrais do caso, já se livraram do processo após completarem 70 anos, em novembro de 2012 e janeiro de 2014, respectivamente.A Justiça determinou a extinção da punibilidade por prescrição dos dois.
Segundo reportagem do mês passado do jornal Folha de S. Paulo, Eduardo Azeredo completa 70 anos em 2018, podendo assim ser beneficiado também pela prescrição. Mesmo se condenado antes disso, o caráter recursal da eventual pena pode levar o tucano a ser beneficiado da prescrição.
Quanto a Bicalho, ele foi secretário de Finanças de Pimentel quando o petista foi prefeito de Belo Horizonte, entre 2004 e 2008. Ele também assessorou Pimentel no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Antes, tinha ligação com os tucanos e foi presidente do extinto Banco do Estado de Minas Gerais (Bemge) durante a gestão de Azeredo.

Confira o artigo original no Portal Metrópole: http://www.portalmetropole.com/2015/04/mensalao-tucano-se-arrasta-e-pode.html#ixzz3XshmCats

Leia Mais

A ligação do DEM de José Agripino e Rosalba com a Operação Salt no RN

A operação Salt no RN, que teve sua terceira fase deflagrada na semana passada, atinge o coração do DEM no estado. O empresário Edivaldo Fagundes, principal alcançado pela Salt, é o líder, conforme a Polícia Federal, de um grande esquema de sonegação e fraudes avaliado em 500 milhões de reais.

Leia matéria a seguir que resume denúncia da revista IstoÉ em que apresenta as ligações umbilicais dos operadores do esquema com o DEM de José Agripino, Claudia Regina e Rosalba Ciarlini.

José Agripino viu a revista IstoÉ, no passado, comparar um dos principais doadores da campanha de Cláudia Regina, sua pupila e de Rosalba Ciarlini, o empresário Edvaldo Fagundes, ao publicitário Marcos Valério.

“De acordo com a investigação do MPF, recursos do governo do Estado saíam dos cofres públicos para empresas que financiam campanhas do DEM por meio de um esquema de concessão de incentivos fiscais e sonegação de tributo, que contava com empresas de fachada e firmas em nome de laranjas.

O esquema de Caixa 2 tem, segundo o MP, seu ‘homem da mala’. O autor do drible ao fisco é o empresário Edvaldo Fagundes, que a partir do pequeno estabelecimento ‘Sucata do Edvaldo’ construiu, em duas décadas, patrimônio bilionário. No rastreamento financeiro da Receita Federal, a PF identificou fraude de sonegação estimada em R$ 430 milhões”, apontou a revista. Além disso, a Istoé afirma que o empresário é acusado de não pagar tributos, mas investe pesado na campanha do DEM. “Nas eleições de 2012, Edvaldo Fagundes não só vestiu a camisa do partido como pintou um de seus helicópteros com o número da sigla. A aeronave ficou à disposição da candidata Cláudia Regina (DEM), pupila do senador José Agripino.

Empresas de Edvaldo, que a Polícia Federal descobriu serem de fachada, doaram oficialmente mais de R$ 400 mil à campanha da candidata do DEM. Mas investigação do Ministério Público apontou que pelo menos outros R$ 2 milhões deixaram as contas de Edvaldo rumo ao comitê financeiro da legenda por meio de Caixa 2″.

A revista não cita, mas é importante lembrar que esse “Caixa 2″ na campanha de Cláudia Regina já foi alvo de uma das 10 condenações sofridas por ela só no primeiro grau da Justiça Eleitoral.

Do site O Potiguar

Leia Mais

Em Nova York, Levy diz que ‘Brasil é um dos países mais transparentes’

“É um país em que tudo é discutido, onde o governo é responsabilizado por tudo que faz, você tem eleições regulares e onde as pessoas que fazem coisas erradas vão para a cadeia.”

Em evento da Bloomberg em Nova York, ele defendeu que, dentro de uma companhia, nem sempre todos os executivos sabem de tudo. Mas que, aqueles que estavam cientes do esquema de corrupção dentro da Petrobras foram punidos. “Aqueles que sabiam, estão na cadeia.”

Levy afirmou que espera que a Petrobras supere nos próximos dias a questão da divulgação dos resultados auditados, acabando com a preocupação do mercado.

Segundo ele, a divulgação do balanço “marcará mais uma etapa na reconstrução” da companhia.

Fonte: FOLHA

Leia Mais

Aécio usou helicóptero oficial para escapar de engarrafamento, diz revista

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) voou em dois helicópteros do governo de Minas Gerais por cinco vezes para se deslocar em Belo Horizonte quando já não era mais governador, informa a revista Época. Segundo a nota, assinada por Leandro Loyola, o tucano também pegou um avião oficial para viajar da capital mineira até Brasília.

As viagens ocorreram logo após ele deixar o governo estadual e prosseguiram até 2012, quando estava em seu segundo ano de mandato no Senado. Aécio deixou o Palácio da Liberdade em março de 2010 para concorrer ao Senado e foi sucedido por seu vice, o hoje senador Antonio Anastasia (PSDB-MG).

Em resposta enviada à revista, o candidato do PSDB à Presidência em 2014 negou irregularidade ou favorecimento. O tucano alega que o uso de aeronaves do governo estadual por autoridades públicas é regular e autorizado por decreto e que recorreu ao helicóptero para “reuniões e compromissos de trabalho”.

A assessoria de Aécio informou, ainda, que o ex-presidente da Câmara Arlindo Chinaglia (PT-SP) e o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, também utilizaram aeronaves do governo mineiro.

Leia Mais

Dilma debutando

Considerado um dos principais biógrafos do país, o escritor e jornalista Fernando Morais publicou em seu perfil no Facebook uma imagem de 1962 em que a então estudante Dilma Vana Rousseff aparece, segundo ele, em seu baile de debutante. Na foto, Dilma brinda com amigas do tradicional Colégio Sion, de Belo Horizonte, sua cidade natal.

“Foto expropriada da página do André Presuntinho.Logo depois Dilminha foi pro sul e trocou a taça de champã por um pau-de-fogo”, escreveu Fernando Morais, referindo-se à passagem da presidenta por grupos que combatiam a ditadura militar. Dilma participou da Política Operária (Polop), e do Comando de Libertação Nacional (Colina). Perseguida pela ditadura militar, ela abandonou o curso de Economia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e passou a viver na clandestinidade. No início dos anos 1970, Dilma passou quase dois anos presa e foi torturada por militares.

Fernando participou ativamente da campanha à reeleição de Dilma no ano passado e chegou a ser cotado para o Ministério da Cultura. Autor de livros como Chatô: o rei do Brasil, A ilha, Olga eOs últimos soldados da guerra fria, o escritor trabalha em um livro sobre o ex-presidente Lula no período entre 1980 e 2010.

dilma_fernandomorais_reproducao_facebook
“Logo depois Dilminha (ao centro) foi pro sul e trocou a taça de champã por um pau-de-fogo”, diz Fernando Morais, em referência à passagem da então estudante para grupos de luta armada contra a ditadura

Leia Mais

Folha: blogueiro antipetista recebe pagamentos do governo Alckmin

Segundo o jornal, empresa de advogado que faz propaganda na internet contra Dilma e o PT ganha R$ 70 mil por mês por serviços de comunicação. Responsável pelo site Implicante diz que suas opiniões não têm nada a ver com seu trabalho

 

O governo Geraldo Alckmin (PSDB) pagou R$ 70 mil por mês, de outubro a março deste ano, à empresa do blogueiro e advogado Fernando Gouveia, que mantém sites e perfis nas redes sociais com ataques ao PT. O mais conhecido deles é o Implicante, que tem quase meio milhão de seguidores no Facebook. Fernando é dono da Appendix Consultoria, que recebe pagamentos da Subsecretaria de Comunicação do governo Alckmin desde junho de 2013. As informações são da Folha de S.Paulo.

De acordo com a reportagem de Ricardo Mendonça e Lucas Ferraz, a Appendix foi subcontratada pela Propeg, uma das três agências de publicidade que cuidam da propaganda do governo paulista. Segundo a gestão tucana, a empresa de Fernando Gouveia foi contratada para prestar serviços de “revisão, desenvolvimento e atualização das estruturas digitais” da Secretaria de Estado da Cultura.

O blogueiro também se apresenta como colaborador de um site chamado Reaçonaria, com conteúdo similar ao do Implicante e 17 mil seguidores no Facebook. Ele disse à Folha que suas opiniões pessoais, expressas na internet, não têm nada a ver com as atividades de sua empresa.

“Não sou filiado a nenhum partido. Tenho longo histórico de trabalho em comunicação do setor público, em governos de vários matizes ideológicos”, afirmou. Ele trabalhou na área de comunicação da prefeitura de São Paulo na gestão Marta Suplicy (PT) e para a vereadora Soninha Francine (PPS), que foi do PT e hoje mantém relação próxima com os tucanos.

“A Appendix não apenas atualiza Facebook, Twitter e o portal da Secretaria de Cultura, mas também produz conteúdo para redes sociais e faz criação e design de partes do portal”, declarou o blogueiro.

Leia Mais

Pedir impeachment de Dilma é ‘precipitação’, diz FHC

Ex-presidente contraria posição de lideranças do PSDB e afirma que faltam elementos para processo contra a petista. “Como um partido pode pedir impeachment antes de ter um fato concreto? Não pode”

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) divergiu de lideranças de seu partido e afirmou, neste domingo (18), que qualquer pedido de impeachment contra a presidenta Dilma (PT) seria uma “precipitação”. Na avaliação dele, não há fato concreto para afastamento da petista.

“Como um partido pode pedir impeachment antes de ter um fato concreto? Não pode”, disse o tucano, em seminário com outros ex-presidentes latino-americanos no Fórum de Comandatuba, no Sul da Bahia.

Para o ex-presidente, não cabe aos partidos políticos empunhar a bandeira do impeachment. “Impeachment não pode ser tese. Ou houve razão objetiva ou não houve razão objetiva. Quem diz se é objetiva ou não é a Justiça, a polícia, o tribunal de contas. Os partidos não podem se antecipar a tudo isso, não faz sentido”, declarou. “Você não pode fazê-lo fora das regras da democracia, tem que esperar essas regras serem cumpridas. Qualquer outra coisa é precipitação”, acrescentou.

O discurso de FHC vai na contramão da tese defendida por outras lideranças do partido, como o presidente da legenda, Aécio Neves (MG), e os líderes das bancadas na Câmara, Carlos Sampaio (SP), e no Senado, Cássio Cunha Lima (PB). O grupo encaminhou a juristas parecer sobre a viabilidade de se pedir o impeachment da presidenta.

Também presente ao encontro na Bahia, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), também disse não ver elementos para a abertura de um processo contra Dilma. Na avaliação dele, a manobra fiscal feita pelo governo para fechar suas contas, apontada pelo TCU, não justifica um eventual pedido de impeachment.

“É um erro (pedaladas fiscais) com o qual não concordo, mas eu, sinceramente, não vejo isso no mandato passado para sustentar um pedido de impeachment. Mas vamos analisar com todo o respeito qualquer pedido que vier”, afirmou Cunha, segundo O Globo.

Leia Mais

PSOL discute nomes para disputar Prefeitura de Natal

Salomão está deixando o PT para filiar-se no PSOL

O Psol – Partido Socialismo e Liberdade começou a discutir internamente nomes de candidaturas própria para Prefeito de Natal nas eleições do próximo ano. Caso essa alternativa não se viabilize, o Psol fará parte de um arco de alianças políticas com legendas as quais tenha afinidade, a exemplo do PSTU.

 

Dois nomes estão sendo analisados pelo militantes filiados: Robério Paulino que foi candidato a governador na eleição passada e Salomão Gurgel, ex-prefeito de Janduís.

Leia Mais

Festa de bacanas recebe políticos do RN

 IMG_8558

O governador Robinson Faria, senador José Agripino Maia e o ministro do Turismo, Henrique Alves estiveram presentes no 14º Fórum de Comandatuba, na Bahia.

O evento é promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (LIDE), organizado pelo jornalista João Dória Júnior, que para reunir empresários numa festa de arromba que é uma verdadeira exibição de celebridades. 

Magistrados e membros do Ministério Público não são convidados, e quando comparecem ficam no baixo-clero.

Leia Mais

Procurado pela PF, Edvaldo Fagundes financiou campanhas do DEM no RN

trdyurdi

Procurado pela Polícia Federal por sonegar mais de R$ 500 milhões em impostos, o empresário mossoroense Edvaldo Fagundes tem uma relação bem próxima com o atual senador José Agripino Maia, do DEM – que, por sua vez, já é investigado por corrupção pela Procuradoria-Geral da República. Tanto é que Edvaldo já chegou a ser considerado o “Marcos Valério” potiguar, uma alusão ao operador do Mensalão condenado por financiar campanhas do PT.

A comparação foi feita por reportagem da revista Istoé em 2013, quando a Operação Salt foi deflagrada (naquela época, não levou os envolvidos a prisão). Isso só ocorreu nesta sexta-feira, quando ocorreu a “terceira etapa” da operação, resultante de ações ajuizadas pelo Ministério Público Federal (MPF), que apresentou quatro denúncias por lavagem de dinheiro, uma denúncia por organização criminosa, uma denúncia por falsidade ideológica e um pedido de prisão preventiva, envolvendo um total de 20 pessoas (ver lista abaixo). O grupo que Edvaldo Fagundes compõe é acusado de integrar uma organização criminosa que, desde 1990, especializou-se em praticar os crimes de sonegação fiscal, apropriação indébita previdenciária, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro.

“O empresário é acusado de não pagar tributos, mas investe pesado na campanha do partido. Nas eleições de 2012, Edvaldo Fagundes não só vestiu a camisa do partido como pintou um de seus helicópteros com o número da sigla. A aeronave ficou à disposição da candidata Cláudia Regina (DEM), pupila do senador José Agripino. Empresas de Edvaldo, que a Polícia Federal descobriu serem de fachada, doaram oficialmente mais de R$ 400 mil à campanha da candidata do DEM. Mas investigação do Ministério Público apontou que pelo menos outros R$ 2 milhões deixaram as contas de Edvaldo rumo ao comitê financeiro da legenda por meio de caixa 2″, relembrou a reportagem da Istoé, citando a ex-prefeita de Mossoró Claudia Regina, que foi cassada em 2013, também, por caixa 2 na campanha.

Naquela época, ressalta-se, Cláudia Regina recebeu doações de várias empresas do grupo Líder. “O Grupo Líder teria como “matriz” a empresa Tecidos Líder Indústria e Comércio Ltda., autuada pela Receita Federal pela primeira vez em 2004. Tal grupo protegeria o seu patrimônio dos órgãos ficais e de todos os seus credores, mediante sobreposição de empresas, sucessão empresarial, confusão e transferência patrimonial, dissolução irregular de diversas sociedades e interposição de pessoas como sócias das empresas”, apontou o texto enviado pela assessoria de imprensa do Ministério Público Federal, para comentar a terceira etapa da Operação Salt.

É importante que naquela campanha, Cláudia Regina teve como maior financiadora os diretórios estadual e nacional do Democratas, ambos comandados por José Agripino. A candidata do DEM em Mossoró, inclusive, recebeu mais recursos partidários do que candidatos a prefeito de outras capitais do Nordeste.

“No Rio Grande do Norte, José Agripino é admirado e temido por seu talento em captar recursos eleitorais. Até mesmo os adversários pensam duas vezes antes de enfrentar o senador com palavras. Mas o poderio econômico do presidente do DEM também está na mira das investigações sobre o abastecimento das campanhas do partido. A Polícia Federal apura denúncia de favorecimento ao governo em contratos milionários com a Empresa Industrial Técnica (EIT), firma da qual José Agripino foi sócio cotista até agosto de 2008. Nas eleições de 2010, o senador recebeu R$ 550 mil de doação da empreiteira. Empresa privada, a EIT é o terceiro maior destino de recursos do Estado nas mãos de Rosalba. Perde apenas para a folha de pagamento e para crédito consignado. Só este ano foram R$ 153,7 milhões em empenhos do governo, das secretarias de Infraestrutura, Estradas e Rodagem e Meio Ambiente. Na crise de pagamento de fornecedores do governo Rosalba, que atingiu o salário dos servidores e os gastos com a Saúde, a população foi às ruas questionar o porquê de o governo afirmar que não tinha dinheiro para as despesas básicas, mas gastava milhões nas obras do Contorno de Mossoró, empreendimento tocado pela EIT”, apontou a revista Istoé.

“De acordo com a investigação do MPF, recursos do governo do Estado saíam dos cofres públicos para empresas que financiam campanhas do DEM por meio de um esquema de concessão de incentivos fiscais e sonegação de tributo, que contava com empresas de fachada e firmas em nome de laranjas. O esquema de caixa 2 tem, segundo o MP, seu ‘homem da mala’. O autor do drible ao fisco é o empresário Edvaldo Fagundes, que a partir do pequeno estabelecimento ‘Sucata do Edvaldo’ construiu, em duas décadas, patrimônio bilionário. No rastreamento financeiro da Receita Federal, a PF identificou fraude de sonegação estimada em R$ 430 milhões”, narrou a reportagem.

Na época dessa publicação, José Agripino Maia negou todo o envolvimento em irregularidades, mas não conseguiu evitar que sua candidata, Cláudia Regina, fosse condenada na Justiça Eleitoral por Caixa 2 e cassada, ficando proibida de disputar o pleito suplementar. Na eleição de 2014, pelo menos, não há registro de doações oficiais de empresas denunciadas na Operação Salt às campanhas do DEM no Rio Grande do Norte.

ENVOLVIDOS NA OPERAÇÃO SALT

Núcleo Administrativo (detinha o poder de mando)

  1. Edvaldo Fagundes de Albuquerque
  2. Ana Catarina Fagundes de Albuquerque
  3. Edvaldo Fagundes de Albuquerque Filho
  4. Eduardo Fagundes de Albuquerque
  5. Rodolfo Leonardo Soares Fagundes de Albuquerque
  6. Zulaide de Freitas Gadelha

Núcleo Contábil (responsável por instrumentalizar formalmente a constituição de diversas empresas fantasmas do grupo, contribuindo decisivamente para os delitos cometidos)

  1. Tupinambá de Paiva Carvalho

Núcleo Operacional (composto pelas interpostas pessoas aliciadas pelos líderes da organização, compondo os popularmente chamados “laranjas”

  1. Antônia Martins de Araújo
  2. Antônio Fagundes de Albuquerque Neto
  3. Carla Lígia Leite Barra
  4. Denise de Souza Borges
  5. Felipe Vieira Pinto
  6. Genival Silvino de Sousa
  7. Ivan Freitas da Silva
  8. Jerônimo Antônio Ferreira Neo
  9. Jose Bonifácio Dantas de Almeida
  10. Manoel Inovilton de Paiva
  11. Marcos Reigracion Borges
  12. Miguel Ângelo Barra e Silva
  13. Sebastião Aécio Borges

Empresas envolvidas:

  1. ESS Empresa de Serviços Salineiros
  2. EBS – Empresa de Sal LTDA
  3. Diamante Cristal Indústria e Comércio de Sal LTDA – ME
  4. Refinassal Indústria e Refinação de Sal LTDA
  5. Líder Comércio e Indústria de Alimentos LTDA
  6. West Import´s e Comércio LTDA
  7. CBC Indpustria de Termoplástico Amazônia LTDA
  8. Locmaquip Locadora & Construtora LTDA
  9. Premolds Indústria & Comércio LTDA
  10. EFA Gestão de Negócio LTDA
  11. Revendedora de Combustível Portalegre LTDA
  12. Realplast Indústria e Comércio LTDA
  13. Comércio de Produtos de Petróleo Líder LTDA
  14. Líder Comércio de Combustível de Lubrificantes LTDA
  15. Revendedora de Combustíveis Portalegre LTDA
  16. Ciemarsal Comércio e Indústria e Exportação de Sal LTDA
  17. Ilha Refinaria de Sal LTDA
  18. Dmarket Indústria e Comércio de Artefatos Plásticos LTDA
  19. Tecidos Líder Indústria e Comércio LTDA
  20. Rafitex Rafia têxtil LTDA
  21. F.A. Veículos, Peças e Agenciamento                                                                                                                                                                                                                Fonte: O’ Jornal de Hoje

Leia Mais

Joaquim Barbosa: governo mente ao dizer que combate a corrupção

Em palestra sobre ética e administração em Santa Catarina, ex-presidente do STF diz que mérito por ações é da Polícia Federal, do Ministério Público e da Justiça

 

Aposentado desde agosto do ano passado, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa criticou duramente o PT e o governo Dilma durante palestra sobre ética e administração em Santa Catarina ontem (16) à noite. Joaquim afirmou que o governo mente ao dizer que nunca, como na atual gestão, combateu-se tanto a corrupção. “Quem está combatendo é o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e a Justiça. Eles não têm nada a ver com isso. Nunca se combateu tanto a corrupção, mentira”, afirmou o ex-ministro, segundo relato de O Globo.

Ele criticou mudanças feitas pelo governo na regulamentação da chamada Lei Anticorrupção, que endureceu as punições a empresas condenadas por corrupção. Joaquim disse que não poderia quantificar se os desvios aumentaram ou diminuíram desde a chegada do PT ao Planalto, em 2003. Mas chamou de “cínica” a forma com que o partido do ex-presidente Lula e da presidenta Dilma, na visão dele, trata o assunto. “Eles alegam ‘nós não inventamos a corrupção, sempre houve corrupção na vida brasileira’ ou seja, é como se tivesse chegado a vez dele”, disse à platéia em Florianópolis.

O ex-ministro reafirmou que votou em Lula e Dilma para presidente, mas que acredita que o PT falhou ao não “expurgar” da sua cúpula pessoas que se utilizaram da filiação ou de sua posição de poder para enriquecer e se corromper.  Joaquim Barbosa descartou a possibilidade de disputar a eleição de 2018. “Vocês acham que uma pessoa que pensa como eu pode ter sucesso?”

Leia Mais