soldado vasco

Cunha derrotado, distritão rejeitado

A Câmara dos Deputados rejeitou nesta terça-feira (26), por 267 votos contra, 210 votos a favor e duas abstenções, a proposta que institui o sistema de voto conhecido como “distritão”. Neste sistema, Estados e o Distrito Federal são transformados em “distritos eleitorais” e os candidatos eleitos são aqueles que conseguem o maior número de votos em cada distrito. O PT foi contra a proposta. A rejeição do “distritão” é vista como uma derrota política do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), defensor do modelo.

Uma proposta de emenda constitucional (PEC) para a reforma política está em tramitação na Câmara dos Deputados. Após acordo com líderes partidários, cada item da PEC está sendo votado ponto a ponto. Nesta terça-feira, a previsão era de que os deputados votassem os itens relacionados ao sistema eleitoral e ao financiamento de campanha. Outros pontos como o fim da reeleição, coincidência de eleições e voto facultativo ainda serão votados pelos deputados ao longo da semana. Para ser aprovado, cada item precisa ter, no mínimo, 308 votos a favor.

A votação que resultou na rejeição do “distritão” foi marcada pela mudança de posição do líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio (PSDB-SP), e do PCdoB, cuja liderança havia indicado o voto a favor da proposta.

Leia Mais

Com 402 votos, Câmara rejeita sistema eleitoral de listas fechadas

O Plenário da Câmara dos Deputados rejeitou, por 402 votos a 21 e 2 abstenções, a emenda do PMDB à PEC da reforma política (182/07) que instituía o sistema eleitoral de listas fechadas, no qual o eleitor vota em lista predeterminada por cada partido.

Em 2007, a Câmara já havia rejeitado proposta semelhante quando da votação do Projeto de Lei 1210/07. Na época, o relatório do então deputado e hoje senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) previa uma lista preordenada fechada. Ela foi rejeitada por 252 votos a 181 e 3 abstenções

Leia Mais

PSDB une-se ao PT para barrar ‘distritão’

Assim como aconteceu com a votação de alguns destaques do projeto de lei sobre a terceirização, o PT e o PSDB pretendem se unir contra a proposta de acabar com o sistema proporcional de votação para que seja instituído o chamado “distritão”. A proposta está incluída no projeto de reforma política que começou a ser analisado nesta terça-feira (26) pela Câmara.

Além de tucanos e petistas, outros partidos como o PSD, Psol, PCdoB, PSB, PPS e PDT já se manifestaram contrários ao chamado “distritão”. Ao todo, estas bancadas juntas somam 218 dos 513 votos da Câmara dos Deputados. Para ser aprovado pela Câmara por meio de Proposta de Emenda Constitucional (PEC), a regra que institui o “distritão” precisa de pelo menos 308 votos favoráveis.

A substituição do sistema proporcional pelo majoritário na eleição de deputados e vereadores, o chamado “distritão”, está sendo articulado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em parceria com outras legendas como o DEM e o Solidariedade

Leia Mais

Justiça Federal começou a ouvir Micarla e sua turma da Operação Assepsia

O juiz federal Walter Nunes da Silva Júnior, titular da 2ª Vara Federal, começou na tarde de hoje (terça-feira) a ouvir os depoimentos de testemunhas e interrogatório dos réus envolvidos nos autos da ação penal que ficou conhecida como operação Assepsia. No processo, o Ministério Público Federal denuncia um suposto esquema de corrupção que teria ocorrido na secretaria municipal de Saúde de Natal.

Esta ação tem como acusados: Micarla de Souza, Bruno Macedo Dantas, Alexandre Magno Alves de Souza, Thiago Barbosa Trindade, Francisco Assis Rocha Viana, Carlos Fernando Pimentel Bacelar Viana, Thobias Bruno Tavares, Annie Azevedo da Cunha Lima, Anna Karina Cavalcante da Silva, Miguel Weber e Antônio Carlos Soares Luna.

Leia Mais

Nestor Cerveró é condenado a cinco anos de prisão por lavagem de dinheiro

O juiz federal Sérgio Moro condenou o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró a cinco anos de prisão por lavagem de dinheiro. De acordo com a sentença, o ex-diretor comprou um apartamento no Rio de Janeiro com recursos oriundos de uma empresa offshoredirigida por ele, segundo a acusação do Ministério Público Federal (MPF). Cerveró está preso preventivamente desde o dia 14 de janeiro.

Leia Mais

Relatório da reforma política prevê “distritão” e voto facultativo

A proposta também inclui na Constituição o modelo de financiamento misto – com o dinheiro público do fundo partidário e com doações de empresas e de pessoas físicas. As doações deverão ser feitas para os partidos, e não para os candidatos

 

O relatório do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) à proposta de reforma política, apresentado nesta manhã aos líderes partidários, determina que deputados e vereadores serão eleitos pelo sistema majoritário – os mais votados serão eleitos –, acabando com o atual sistema proporcional, em que a eleição leva em conta a votação do partido ou coligação. O texto irá a voto nesta terça-feira em Plenário, em substituição aos trabalhos da comissão especial, que não votou o relatório do deputado Marcelo Castro (PMDB-PI).

Trata-se do modelo de distritão defendido pelo PMDB, que também ganhou aval do DEM e de outros partidos. Nesse modelo, cada estado será um distrito e os mais votados, pelo voto majoritário, serão eleitos. A ideia é defendida amplamente pelo presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e altamente criticado pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcos Vinícius Coelho.

Pelo texto do deputado Rodrigo Maia, o voto passará a ser facultativo. Muito embora, o alistamento eleitoral ainda continue obrigatório. Ou seja, caso a proposta seja aprovada, o cidadão ainda será obrigado a tirar o título de eleitor. Mas ele não será mais obrigado a votar.

Vice-líder do DEM, o deputado Pauderney Avelino (AM) disse que a expectativa é que hoje apenas dois pontos sejam votados: o sistema eleitoral para escolha de deputados e senadores e o financiamento de campanha. São esses os temas mais polêmicos.

A proposta também inclui na Constituição o modelo de financiamento misto – com o dinheiro público do fundo partidário e com doações de empresas e de pessoas físicas. As doações deverão ser feitas para os partidos, e não para os candidatos, e os limites dos valores que poderão ser doados por empresas e pessoas deverão ser definidos em lei posterior.

Esse ponto pretende sepultar a polêmica ação direta de inconstitucionalidade (ADI) da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) questionando as doações de empresas. A ação já teve voto favorável de maioria do Supremo Tribunal Federal (STF), mas o julgamento não foi finalizado, por causa de um pedido de vista do ministro Gilmar Mendes em abril do ano passado.

Reeleição
O relatório apresentado acaba com a reeleição de prefeitos, governadores e presidente da República, que só terão direito a um mandato de quatro anos. Segundo o deputado Danilo Castro (PMDB-CE), não há acordo sobre esse ponto, já que muitos defendem que o fim da reeleição venha acompanhado da ampliação, para cinco anos, dos mandatos dos chefes do Executivo.

As eleições municipais e gerais, pelo texto de Rodrigo Maia, serão unificadas em 2022. Nesse ano, prefeitos e vereadores eleitos terão apenas dois anos de mandato.

A proposta também traz cláusula de desempenho, que limita o acesso ao fundo partidário e ao tempo de rádio e TV aos partidos que tenham eleito pelo menos um representante para qualquer das casas do Congresso Nacional.

Outra alteração do texto apresentado pretende limitar a aplicação de atos normativos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que só terão efetividade 18 meses após a publicação. Também prevê janelas para desfiliação partidária de políticos sem a perda de mandato ou penalidades em tempo de televisão e fundo partidário.

O relatório distribuído aos líderes também torna constitucional a regra da fidelidade partidária; altera a posse presidencial para o primeiro dia útil do mês de janeiro e altera regras para a suplência de deputados e senadores.

Com informações da Agência Câmara

Leia Mais

Greve na UERN é acintosa e descabida

 

Confesso que minha derrota para vereador de Natal em 2008 me encaminhou para uma situação de total independência, pois agora falo sem preocupação de ferir interesses de quem quer que seja.

Sou livre para falar por dois motivos: não sou candidato, nem tenho medo de fazer desafetos.

Hoje vejo na mídia um movimento grevista na UERN – Universidade Estadual do RN. Confesso que não consigo entender como o pessoal desta universidade, que custa muito caro ao contribuinte potiguar, não tem sensibilidade para entender o momento de crise que vive o RN e ainda tem cara de pau para fazer greve exigindo aumento de salários e vantagens.

No momento quer o governador do Estado, dando exemplo de austeridade, abrindo mão de mordomias como residencia oficial, carro oficial, alimentação e outras vantagens inerentes ao exercício do cargo; no instante que o governo, para evitar uma crise sem precedentes e pagar em dia a folha dos servidores ativos e inativos, é obrigado a lançar mão de recursos do Fundo Previdenciário, os professores e servidores desta universidade que custa R$ 300 milhões por ano aos contribuintes, faz greve por aumento de salários.

Isto é um acinte descabido, aliais, nós contribuintes temos que exigir das autoridades repensar esta universidade estadual, não podemos aceitar que o poder público destine R$ 300 milhões para bancar o ensino superior que é atribuição do governo federal.

Não é cabível que um aluno desta universidade custe ano, R$ 18 mil, quando numa universidade privada o Estado paga R$ 8.5 mil no curso de direito – tem algo errado!

Todo ano de eleição, os professores da UERN procuram candidatos para assumirem compromissos com objetivo de aumentem seus vencimentos e vantagens, para acintosamente cobrar ao governador eleito.

O RN que é um estado pobre não suportar este encargo, quando nossa rede hospitalar está sucateada, com um deficit de 7.000 homens nas policias militar e civil, delegacias destruídas, escolas desmanteladas e indicadores vergonhosos de qualidade de ensino,  destinar da sua receita R$ 300 milhões para bancar atribuições do governo federal e os professores que tem uma média salarial com suas vantagens de R$ 20 mil ter cara de pau em fazer greve.

Se o governador ceder, abrirá um precedente descabido e perigoso, além de cometer um crime de improbidade administrativa em desobedecer a Lei de Responsabilidade Fiscal, desgraçará o seu governo e todas demais categorias terão discurso para fazer greve.

Verificando que vivemos um momento em que existe uma redução das transferências constitucionais e pagamento dos royalties  do petróleo, é momento de união para salvar o RN da crise, cada um tem que dar sua parcela de contribuição, isso não sendo feito, não teremos policias nas ruas, hospitais funcionando bem e escolas sem educar.

Quem quiser ficar com raiva de mim, pode ficar!

Leia Mais

RN poderá ganhar um Centro de Tratamento Internacional dos Correios

A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT)  pretende instalar no aeroporto de São Gonçalo do Amarante um Centro de Tratamento Internacional (CTI).

São três as unidades operando no Brasil: Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, a unidade que poderá ser instalada em São Gonçalo do Amarante serviria para atender às demandas do Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

De acordo com as informações, técnicos da empresa de Brasília vieram a Natal no ano passado e iniciaram os estudos.

O CTI é uma divisão dos Correios que centraliza todo tipo de encomendas e correspondências vindas do exterior.

Leia Mais

Gabas diz não haver definição sobre sanção ou veto de fator previdenciário

Brasília – O ministro da Previdência Social, Carlos Gabas, disse que ainda não há decisão se a área econômica recomendará à presidente Dilma Rousseff o veto às mudanças no fator previdenciário, aprovadas na Câmara dos Deputados e em análise no Senado. “Não temos decisão ainda, vamos analisar quando for votado”, explicou.

Segundo Gabas, o governo não teme que as medidas provisórias que mudaram regras previdenciárias e trabalhistas caduquem. “Se o Senado mudar e voltar para a Câmara, há o compromisso de votar antes do prazo de caducar”, afirmou.

Já o ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, disse que o governo vai trabalhar junto com o fórum com representantes das centrais sindicais em uma proposta alternativa ao fator previdenciário, que deverá ser enviada na forma de projeto de lei ainda neste ano.

O ministro disse que o fator previdenciário não pode ser eliminado sem encontrar outra alternativa para garantir a sustentabilidade. “Não é possível, do ponto de vista fiscal, acabar com o fator previdenciário e não colocar outra coisa no lugar. O desafio é encontrar formas de custear longo período de aposentadoria”, disse, após participar de uma reunião com outros ministros para discutir o assunto.

Fonte: Estadão

Leia Mais

Vendendo 6 blocos de petróleo a Petrobras espera obter US$ 4 bi

A Petrobras colocou à venda participações em seis blocos de petróleo, incluindo cinco áreas de pré-sal e uma de pós-sal nas bacias de Santos e Campos. A estatal espera obter mais de US$ 4 bilhões com o negócio.

Essa operação faz parte de um pacote maior de alienação de patrimônio, que inclui distribuidoras de gás, termelétricas e postos de gasolina no exterior, conforme antecipou a Folha em março.

 

Leia Mais

Câmara abre caminho para anular reforma política

Presidente da Casa, Eduardo Cunha não conseguiu acordo entre líderes partidários. Com o impasse, tornam-se escassas as chances de que seja aprovada em plenário alguma mudança significativa no sistema político brasileiro, segundo deputados ouvidos pelo Congresso em Foco

 

Após muita polêmica e discussões, a Câmara inicia nesta terça-feira (26) as votações da reforma política. No entanto, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não conseguiu acordo com as lideranças partidárias acerca de diversos pontos das propostas de emenda à Constituição (PEC) que dispõem sobre o tema. Assim, tornaram-se escassas as chances de que seja aprovada em plenário alguma mudança significativa no sistema político brasileiro, segundo deputados ouvidos pelo Congresso em Foco.

Cunha tem reclamado da interferência do Planalto em relação à proposta de fusão de partidos, acusando o PT de tentar enfraquecer o PMDB. Além dessa indisposição do deputado com o governo, dificulta a aprovação da reforma o fato de que ela é promovida por meio de PECs, que demandam o chamado quórum qualificado, exigindo-se pelo menos 308 votos a favor de cada proposta. A imposição regimental demanda número elevado de deputados em plenário.

Desde a semana passada, Cunha tem articulado ao menos a aprovação do sistema “distritão”, modelo de voto que acaba com o atual sistema proporcional para eleição de deputados e vereadores e determina a eleição dos mais votados, em estados e municípios, pelo sistema majoritário. O distritão elimina o chamado quociente eleitoral, cálculo em que as sobras de voto do mais votado são distribuídas entre candidatos menos votados na lista partidária, provocando distorções como a eleição de alguém, puxado pelo campeão de preferências, que teve menos votos do que outro que o superou nas urnas.

Leia Mais

MÚSICA NOS LARES POTIGUARES COMEÇA NO PRÓXIMO DIA 28 DE MAIO

Natal terá um circuito de serestas nos bairros a partir deste mês de maio. O nome do projeto é Música nos Lares Potiguares e começará pelo bairro das Rocas, na próxima quinta-feira à noite, 28 de maio.
 
         Na quarta-feira, às 8h, o projeto será apresentado em café da manhã para a imprensa na padaria Hora do Pão. 
 
 
         O projeto foi criado pelo O Instituto Potiguar de Juventude pela Cidadania – IJC, em parceria com o Governo do Estado Do RN/Fundação José Augusto – FJA.
 
        
         O Projeto tem como coordenadora geral Larissa Lira Costa e coordenador cultural o sambista Debinha Ramos, e visa promover encontros dos amantes da boa música, por meio de seis cortejos musicais, até dezembro de 2015, em Bairros da cidade do Natal, homenageando um artista que resida em cada um destes bairros.
 
A proposta tenta resgatar as tradicionais serestas que animavam as noites de Natal, em palco móvel, com a participação de músicos da cidade, entre consagrados e novos talentos.
 
A primeira edição será realizada no bairro das Rocas, no dia 28 de maio, com início às 19h, e homenageará Fernando Tovar, grande seresteiro do bairro. A segunda edição acontecerá na Cidade da Esperança  e homenageará o violonista Silvano.

Leia Mais

Preocupado Ezequiel Ferreira se reúne com DNOCS em busca de soluções para crise hídrica no Seridó

O abastecimento de água no Seridó é motivo de preocupação não só para a população da região, mas também para as autoridades do Rio Grande do Norte. A adutora de engate rápido que vai abastecer Currais Novos e Acari precisa de aproximadamente 70 km de tubos instalados. A obra está orçada em R$ 35 milhões e apenas pouco mais de R$ 1 milhão foi liberado.

A primeira carreta de canos chegou à cidade na última quarta-feira (20) com mais de 100 canos. A GAID Construções, empresa responsável pela execução da obra, já iniciou a limpeza das vias que servirão de base para a obra.

O assunto foi pauta de mais uma reunião, realizada nesta segunda-feira (25), entre o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PMDB) e o diretor do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS), Walter Gomes.

Ezequiel Ferreira se comprometeu em agendar uma reunião com o governador Robinson Faria, para que ele convoque a bancada federal e juntamente com a representação da Assembleia Legislativa, vá a Brasília buscar recursos para que a obra da Adutora Currais Novos/Acari seja concluída dentro de sete meses. “Trata-se de uma causa pela qual estamos empenhados. A questão da água é prioridade e é preciso apresentar soluções imediatas para adutora de engate rápido que garante o abastecimento de água nos municípios de Currais Novos e Acari”, disse Ezequiel.

O presidente da Assembleia Legislativa destacou que é preciso exigir que o Governo Federal dê prioridade à questão da adutora.

De acordo com Walter Gomes, a região pode entrar em colapso dentro de dois ou três meses. “A obra da adutora é extremamente importante para evitar o colapso em currais novos e para que a obra tenha continuidade com celeridade, é preciso de um recurso na ordem de R$ 5 milhões/mês. Com esse recurso a adutora ficará pronta dentro de sete meses”, disse Walter Gomes.

Participou ainda da reunião o ex-prefeito de Currais Novos, Zé Lins (PMDB) que sempre defendeu esta causa.

Leia Mais

R$ 6.80: Carlos Eduardo Alves paga um pão com café para UPA’s, mais caro que na Kopenhagem

TRIBUNAL DE CONTAS E O VEREADOR MAURICIO GURGEL ESTÃO INVESTIGANDO INDÍCIOS DE MARACUTAIA

 

Ao saber que o Tribunal de Contas do RN determinou que identificou indícios de irregularidades em processo licitatório realizado pela Secretaria Municipal de Saúde de Natal, para aquisição de refeições e lanches para plantonistas e pacientes das Unidades de Pronto-atendimento, e sugeriu suspender a execução do contrato com a empresa Refine Refeições LTDA, o vereador, Mauricio Gurgel pediu esclarecimentos sobre o contrato ao secretário de Saúde, Luiz Roberto Fonseca  que de pronto respondeu que não foi ele que homologou a licitação “quando assumi já encontrei assim”, disse o secretário.

De acordo com o corpo técnico, o termo de referência da licitação, que culminou no contrato de R$ 2,1 milhões, não detalha “a quantidade de plantonistas em cada turno nas Unidades de Pronto-atendimento a serem atendidas pela contratação, tampouco a média diária de pacientes que permanecem nas Unidades por tempo que justifique o fornecimento da refeição”. Também não há uma estimativa de “fornecimento diário de refeições para cada Unidade, nos horários de entrega definidos pela Administração”.

A licitação questionada pelo vereador e Tribunal de Contas é que fornece a Secretaria de Saúde de Natal um pãozinho com café ao custo de R$ 6.80 a unidade para as UPA’s da prefeitura de Natal.

Nem no Triste Café ou na Kopenhagen um café com pãozinho é tão caro.

Leia Mais

Morre no Rio Antonio Neiva, um dos fundadores do PT

Neiva tinha 66 anos e iniciou sua trajetória política no movimento estudantil, durante o regime militar

 

Antonio de Neiva Moreira Neto, um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores (PT), morreu na manhã de ontem (24) no Rio de Janeiro. Segundo nota divulgada pelo partido, ele estava internado com pneumonia e morreu depois do quadro se agravar para infecção generalizada.

Neiva tinha 66 anos e iniciou sua trajetória política no movimento estudantil, durante o regime militar. Militante da Ala Vermelha, uma setor dissidente do PCdoB, foi preso político e, posteriormente, dirigente do PT e da Força Socialista.

Nos últimos anos, participou de campanhas eleitorais de candidatos petistas. “[Lamentamos a morte de] mais um guerreiro da luta dos trabalhadores, de um líder encantador e incansável, mas ficamos felizes com seu legado e com as sementes que ele plantou”, diz a nota do PT

Leia Mais

Henrique Alves vai para Croácia e deixa Laurita em Natal

Laurita – nada de Croácia

Depois de prometer construir o teleférico do Santuário de Santa Rita de Cássia em Santa Cruz, o Ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, embarca nesta segunda-feira (25) com destino a Croácia.

O ministro vai participar de reunião mundial do Turismo, onde promete manter o brasileiro Márcio Favilla na OMT da ONU.

A pré-candidata a prefeita de Natal e sua esposa, mesmo contra vontade, ficará em Natal, fazendo oposição ao governo Robinson Faria, ela não vai gozar os prazeres de uma viagem internacional.

 

Leia Mais

Executivo corre risco de perder benefício da delação premiada

Procuradores dizem que executivo pode perder o direito à redução da pena caso seja constatado que ele mentiu em depoimento para preservar o presidente da Câmara, suspeito de pressioná-lo com requerimentos para retomar pagamento de propina ao PMDB

 

Procuradores da Operação Lava-Jato vão pedir a anulação dos benefícios da delação premiada do empresário Júlio Camargo caso seja comprovada a suspeita deles de que o executivo mentiu para proteger o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Segundo o jornal O Globo, essa desconfiança cresceu depois que Júlio rebateu as declarações do doleiro Alberto Youssef de que o peemedebista o havia pressionado, por meio de requerimentos no Congresso, para que voltasse a pagar propina ao lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, apontado como operador do PMDB no esquema de corrupção na Petrobras.

Esta é a principal suspeita contra o presidente da Câmara no inquérito da Lava Jato a que ele responde no Supremo Tribunal Federal (STF). Youssef contou, também em delação premiada, que o suborno fazia parte de um contrato de fretamento de navios entre a estatal e a Samsung. De acordo com o doleiro, para que ele e outros políticos do partido voltassem a receber os pagamentos, Cunha articulou a apresentação de requerimentos contra Júlio Camargo na Comissão de Fiscalização e Controle.

Segundo O Globo, os investigadores consideraram inconsistente o novo depoimento do executivo, em que ele negou ter sido pressionado pelo presidente da Câmara. O documento foi assinado pela ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), aliada do deputado, mas há indícios de que a autoria partiu do gabinete de Eduardo Cunha. O peemedebista nega relação com o episódio e diz ser vítima de perseguição pessoal do procurador-geral da República, Rodrigo Janot.

O Ministério Público Federal sustenta que Júlio Camargo pagou US$ 53 milhões a Baiano e ao ex-diretor da área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró, entre outros, para viabilizar dois contratos de afretamento de navios da Samsung Heavy Industries CO com Petrobras.

Leia Mais

Henrique Alves e o turismo eleitoral

Henrique Alves, ministro de Dilma

O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves não deve está gostando do ministério ou não tem muito o que fazer lá.

Ele não está dando expediente, passa mais tempo no RN que em seu gabinete de Brasilia.

Quinta-feira de manhã ele pega um avião e vem para o RN fazer turismo eleitoral, ou seja, visitar seus cabos eleitorais prometendo teleféricos, pórticos e bandas para festas religiosa, só retornando para Brasilia na terça-feira.

O Ministério do Turismo tem dois gabinetes, um em Brasilia, outro na sede do PMDB em Natal.

 

Leia Mais

Deborah Secco faz leilão para expor a filha

deborah namorado Secco faz leilão para expor a filha
Essa foto de Deborah com o novo namorado (que ela engravidou) pareceu um flagra, mas foi armada por ela

Deborah Secco não dá ponto sem nó.

O desespero dela para aparecer chega a ser algo quase doentio, pois ela vive arquitetando planos para estar na mídia (arma flagras com fotógrafo etc).

A novidade agora é a filha que a atriz está esperando de um surfista.

Há quem diga que Deborah já começou a fazer leilão para ver qual revista de celebridades ganhará a exclusividade de exibir as fotos do bebê.

Sorte do público que gosta de saber da vida dos famosos, né? Se todos fossem discretos e se preocupassem com a privacidade das crianças, não teria graça.

Leia Mais