Arquivo da categoria: Economia

‘Nota Potiguar’: programa visa aumentar arrecadação em até 84 milhões ao ano

Através do aplicativo Nota Potiguar, compatível com sistemas Android e IOS, que pode ser baixado gratuitamente, a população exercerá um papel fiscalizador ao informar o CPF e exigir a nota fiscal, além de ajudar uma instituição filantrópica de sua escolha. Dessa forma, contribuirá para evitar a evasão de divisas e ajudará a coibir a sonegação fiscal.

Febraban quer concretizar transações financeiras instantâneas em 2019

O presidente da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), Murilo Portugal, disse, durante abertura da 29ª edição do Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras (Ciab), que há um trabalho em conjunto com o Banco Central (BC) para tornar mais fáceis e rápidas as transações de pagamento. A intenção é conseguir concretizar a operação de transações financeiras instantâneas ainda em 2019.

A edição deste ano tratou a inovação: “Conectado com o cliente. Contribuindo para a Sociedade”. O evento começou nesta terça-feira (11/6) e terminará na próxima quinta (13/6), contando com a presença de centenas de exposições, palestras e apresentações. Entre os temas, o Ciab tratou de meios de pagamentos, segurança cibernética, experiência do cliente, empreendedorismo e soluções digitais.

Empresa potiguar é uma das três maiores inovadoras do Brasil

A indústria potiguar de argamassa BQMIL ficou entre as três finalistas do Prêmio Nacional de Inovação. A solenidade aconteceu na noite desta segunda-feira (10), em São Paulo, durante o 8º Congresso Brasileiro de Inovação na Indústria. A empresa concorreu na categoria “Inovação de Processos”, na modalidade “Médias Empresas”. O primeiro lugar foi para a BMD Têxteis, da Bahia. Prêmio é uma iniciativa da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), realizado pela CNI e o SEBRAE em parceria com o SESI e o SENAI e conta com o apoio de 14 instituições, entre elas o IEL.

O CEO da BQMIL, Marcelo Rosado, agradeceu aos parceiros e a equipe de colaboradores e clientes. “É o resultado de esforço disciplinado, contínuo e resiliente nos últimos dez anos. Compartilhamos esse momento de vitória ao sermos classificado entre os três primeiros do país”, disse durante a cerimônia.

Petrobras anuncia redução de 3% no preço da gasolina nas refinarias

Petrobras anunciou que, a partir desta terça-feira, o preço dagasolina em suas refinarias vai ter uma queda de aproximadamente 3%, com uma redução de R$ 0,0549 por litro do combustível. No Rio de Janeiro, por exemplo, a gasolina é comercializada por R$ 1,8333. Com a redução anunciada para esta terça, o preço será reduzido para R$ 1,7784.

Em São Paulo, na refinaria de Paulínia, a redução também será na casa dos 3%. O combustível passará dos atuais R$ 1,8528 para R$ 1,7979: queda de 2,96%.

O óleo diesel nas refinarias da Petrobras, entretanto, não terá reajuste.

Embora a estatal tenha reduzido o preço em suas refinarias, a redução depende das políticas das distribuidoras e dos postos de combustíveis para que o consumidor pague menos pelo combustível.

último reajuste no preço da gasolina nas refinarias tinha sido em 31 de maio. Na ocasião, o preço do combustível apresentou queda de 7,15%, passando de R$ 1,9543 para R$ 1,8144.

No fim de maio, o diesel também foi reajustado, apresentando queda de 6%. Ele foi de R$ R$ 2,3047 para R$ 2,1664.

O GLOBO

Saques da poupança em maio superam depósitos

Após os saques líquidos de R$ 2,877 bilhões abril, os brasileiros voltaram a retirar dinheiro da poupança em maio. Dados do Banco Central mostraram que, no mês passado, R$ 718,718 milhões líquidos saíram na caderneta poupança. Em maio de 2018, foram registrados depósitos líquidos de R$ 2,405 bilhões. No mês passado, foram R$ 204,305 bilhões em saques, contra R$ 203,586 bilhões em depósitos. Considerando os rendimentos de R$ 2,987 bilhões na poupança em maio, o saldo global da caderneta chegou aos R$ 795,160 bilhões.

No acumulado de 2019, as retiradas líquidas da poupança somaram R$ 16,997 bilhões. O montante é resultado de saques de R$ 980,894 bilhões contra depósitos de R$ 963,897 bilhões. Em função da crise econômica, a caderneta registrou saídas líquidas em 2015 e 2016, mas iniciou um processo de recuperação no ano seguinte.

Bancários do RN aderem à greve geral no dia 14 de junho

Os bancários do RN, reunidos em assembleia nesta quinta-feira (6), decidiram por aderir a Greve Geral de 14 de junho que vem sendo organizada por trabalhadores de todo o país para barrar a Reforma da Previdência. Na sexta, 14, nenhuma agência bancária deverá funcionar.

Os bancários potiguares entendem que o que está em jogo é o fim do direito a aposentadoria. “Assim como a Reforma Trabalhista não gerou empregos, a Reforma da Previdência não irá resolver os problemas econômicos do país”, diz o Sindicato. A luta, segundo os bancários, é ainda contra o desemprego, o desmonte do serviço público e da educação.

Governo isenta ICMS para abate de carne bovina no Rio Grande do Norte

José Aldenir / Agora RN
Grande parte da carne bovina consumida no RN vem de outros estados

A medida foi tomada após análise da secretaria estadual de Tributação sobre a situação vivida pelos criadores do estado que enfrentam dificuldades para o abate e pelo fato de que grande parte da carne bovina consumida no RN vem de outros estados e representa R$ 1 bilhão por ano em aquisições.

“Esta medida beneficia milhares de criadores do nosso estado. Hoje, segundo informações dos próprios produtores, 18 mil propriedades estão abandonadas. Esta medida vai revitalizar o setor, gerando renda e movimentando a economia”, afirmou a governadora, ressaltando que informou que a medida também é pleito dos produtores através da Associação Norte-rio-grandense de Criadores – Anorc.

O representante da Anorc, Marcelo Passos, disse que “o governo do RN agora consolida uma política de apoio ao produtor que vai gerar desenvolvimento e riqueza. Os abates no RN hoje são praticamente clandestinos. Com a renúncia do ICMS de 12% o setor será revitalizado e 18 mil produtores rurais poderão consolidar suas atividades. Esta medida é um ato histórico”.

Na ExpoCaicó 2019 o Governo do Estado lançou o programa de Produção e Conservação de Forragem. Incluído no Projeto Governo Cidadão, que utiliza recursos do financiamento contratados junto ao Banco Mundial, o programa de forragem adota estratégias de convivência com o semiárido para enfrentar a pouca disponibilidade de água garantindo alimento aos rebanhos no período de estiagem.

O programa é executado com a distribuição de raquetes-sementes de palma forrageira resistentes à cochonilha do carmim, produção e comercialização de feno subsidiado e disponibilização de máquinas para produção e armazenamento de silagem. Cada produtor rural recebe 900 raquetes de palma e orientação para o cultivo. Serão comercializados 360 mil fardos de feno beneficiando diretamente 6.700 agricultores familiares.

Para a produção e armazenamento de silagem – que atenderá 2.400 agricultores – serão disponibilizados equipamentos e conhecimento técnico pela Emater e Emparn. Para isso o Governo investiu R$ 812.579,03 na aquisição de 20 kits de ensilagem. Os produtores deverão se cadastrar nos escritório regionais da Emater, órgão que vai gerenciar o uso dos equipamentos – vagões forrageiros, colhedeiras e empacotadoras.

Bandeira verde nas contas de energia em junho

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira (31) que a bandeira tarifária para junho de 2019 será a verde, sem cobrança extra nas contas de luz. Em maio, foi acionada a bandeira amarela, com acréscimo de R$ 1 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos.

A Aneel disse que, embora junho seja um mês típico da estação seca nas principais bacias hidrográficas do país, “a previsão hidrológica para o mês superou as expectativas, indicando tendência de vazões acima da média histórica para o período” e que, por isso, o cenário foi favorável para a retirada da cobrança extra nas contas de luz.

Dólar caiu para R$ 3.92

O dólar fechou maio em R$ 3,9255, a menor cotação desde 30 de abril. Na semana, a moeda recuou 2,23%, o que reduziu a valorização no mês para apenas 0,11% – a menor alta mensal desde fevereiro. O pregão desta sexta-feira, 31, teve a primeira parte dos negócios influenciada por fatores técnicos, que foi a disputa pela definição da taxa referencial Ptax do mês, que é usada em contratos cambiais e nos balanços de empresas. Na parte da tarde, a influência foi do cenário externo, dia em que o dólar caiu ante boa parte das moedas fortes e de emergentes, em meio a novos temores de piora da economia mundial.

O real foi uma das moedas que mais ganhou força nesta sexta ante o dólar no mercado financeiro internacional, dia em que a moeda americana subiu forte no México (+2,32%), após o presidente Donald Trump ameaçar tarifar produtos do país vizinho, deslocando, ao menos temporariamente, o foco da guerra comercial da China para a economia mexicana. Inicialmente, os operadores temiam que a forte alta do dólar no México, que chegou a superar os 3%, pudesse contaminar o real, mas aconteceu o oposto.

Em dia de agenda local esvaziada, profissionais de câmbio observam que o anúncio de Trump acabou beneficiando o real. Investidores internacionais rebalancearam carteiras reduzindo posições no México e aumentando em outros emergentes, movimento que tende a continuar. Por isso, mesmo após o fim da disputa pela Ptax, vencida pelos vendidos, que defendem a queda do dólar, a moeda americana manteve o ritmo de baixa. “O aumento das tarifas tem condições de empurrar a economia mexicana para a recessão”, observam os estrategistas do banco espanhol BBVA. O Instituto Internacional de Finanças (IIF), com sede em Washington, destaca que a renda fixa brasileira já atraiu compradores estrangeiros nas últimas semanas.

No Brasil, o clima político mais ameno e a expectativa de avanço da reforma da Previdência ajudou o dólar a sair de níveis perto de R$ 4,10 para R$ 3,90, na mínima desta sexta, em apenas dez dias. “O presidente Bolsonaro parece estar suavizando seu discurso para conseguir passar a reforma”, afirma o estrategista em Nova York do banco de investimentos Brown Brothers Harriman (BBH), Win Thin. Ele destaca que um passo importante foi o encontro de Bolsonaro esta semana com representantes dos outros Poderes, que prometeram firmar um pacto para o País voltar a crescer.

Estadão Conteúdo