Lava Jato: agenda apreendida pela PF reforça tese de propina a políticos

A Polícia Federal encontrou registros na agenda pessoal do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, primeiro delator do esquema de corrupção na estatal, que reforçam as suspeitas de que políticos receberam propina. Feitas à mão, as anotações datam de 2010, e foram apreendidas na residência de Costa no início do ano, quando a PF deflagrou a Operação Lava Jato.

Nos manuscritos, há uma coluna à esquerda de uma página com valores que, segundo Costa, referem-se a pagamentos a políticos. Na coluna da esquerda, os nomes de parlamentares mencionados por ele em seus depoimentos à força tarefa investigatória que envolve Ministério Público Federal e PF. Para cada sigla ou abreviação, um valor correspondente.

Facebook Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *