Entrevista de Garibaldi Alves ao jornal da família Alves, mostra que ele está em cima do muro

Garibaldi Alves está querendo voar

A entrevista do senador, Garibaldi Filho, hoje (07) na Tribuna do Norte, reforça a tese publicada pelo blog sobre o entupimento na família Alves para a eleição de 2018.

Garibaldi Alves sabe que o prefeito de Natal e seu primo, Carlos Eduardo Alves só pensa em ser candidato a governador na eleição de 2018, exatamente quando ele tentará disputar mais uma reeleição para o Senado.

O senador Alves sabe que disputar uma eleição para o Senado fazendo dobradinha com Carlos Eduardo Alves caracteriza um projeto familiar de uma oligarquia jpa desgastada no RN e isso pode provocar uma rejeição popular derrotando os Alves de uma só vez.

Então, analisando a entrevista do velho, Garibaldi Alves como chama seu primo, Carlos Alves verifiquei o seguinte:

* Garibaldi deixou claro que não existe nada acertado com relação ao apoio à candidatura de Carlos Eduardo Alves para prefeito de Natal em 2016.

* Na entrevista, o senador Alves foi moderado e mostrou que não está disposto a fazer oposição ao governador, Robinson Faria.

* Gari mandou um recado para José Agripino dizendo que o palanque de 2016 e 2018 poderá não ser o mesmo palanque do acordão derrotado em 2014.

* Mostrou uma contradição imperdoável, e cheia de hipocrisia, quando defendeu o fim da reeleição alegando que: “Eu não era muito favorável, não. Sinto-me muito atraído quando se diz que a reeleição permite o julgamento do administrador. Muito encantado com isso [a possibilidade do eleitor julgar o governante]. Mas agora me sinto muito desencantado, porque se permite, no Brasil, o uso da máquina. O país precisa limpar a corrupção. Infelizmente, reeleição, em muitos momentos, é sinônimo de uso da máquina, de desmando.” disse o ex-governador, Garibaldi Alves que vendeu a Cosern no ano em que disputou a releição para o governo.

O senador Garibaldi Alves pode tentar pavimentar dois caminhos: um se aproximando do governador, Robinson Faria; o outro é fazer uma aliança em 2018 com o PT, para fugir do desgastante ‘acordão familiar’ com a possível candidatura de Carlos Eduardo Alves.

 

 

 

Facebook Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *