Mais um absurdo de juízes

O aposentado Júlio Cesar Canani e seu advogado, Dilto Marques Nunes, em frente ao Fórum de São Francisco de Paula (Foto: Reprodução/RBS TV)
O aposentado Júlio Cesar Canani e seu advogado, Dilto Marques Nunes, em frente ao Fórum de São Francisco de Paula (Foto: Reprodução/RBS TV)

Um advogado cadeirante que atua no Rio Grande do Sul vem enfrentando dificuldades de acessibilidade e diz que sofre situações de preconceito no Fórum de São Francisco de Paula, na Serra. Dilto Marques Nunes já perdeu duas audiências porque o prédio não possui elevador e a estrutura necessária para deslocamento interno.

Ele afirma que o juiz Carlos Eduardo Lima Pinto, além de negar pedidos para que os encontros fossem realizados no térreo, sugeriu que seu cliente trocasse de defensor por conta dos problemas de acessibilidade. “O maior problema é que estou me sentindo prejudicial à Justiça. Passo a ser, em vez de uma peça essencial, um obstáculo à aplicação da lei”, afirma Dilto, que teve dois pedidos negados para que as audiências fossem realizadas no térreo do Fórum.

Fonte: G1

Facebook Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *