Câmara pagou resort, propaganda e aluguel de avião a suplentes em janeiro

Os suplentes que assumiram o cargo de deputado federal por 30 dias não participaram de sessões, mas usaram a verba de gabinete disponível aos parlamentares para alugar avião, barco, “divulgação da atividade parlamentar” e hospedagem em resort.

Segundo a Câmara Federal, 37 suplentes assumiram um mandato relâmpago em janeiro deste ano, em pleno recesso parlamentar. A abertura das vagas foi resultado de renúncia ou licença de parlamentares que tomaram posse como governadores, vices, ministros e secretários estaduais no dia 1º de janeiro. Os deputados-tampão exerceram o mandato até fevereiro, quando os parlamentares eleitos no ano passado assumiram seus cargos.

O salário de um deputado federal, na legislatura passada, era de R$ 26,7 mil. Mesmo sem participar de sessões, dos 37 que entraram em janeiro, 12 pediram e receberam auxílio-moradia em dinheiro –descontando imposto de renda, mas sem a necessidade de prestar contas do gasto. O valor do benefício é de R$ 4.253. Muitos dos 37 sequer usaram passagem para ir a Brasília.

A Câmara dispõe de 432 apartamentos funcionais, mas muitos parlamentares preferem receber auxílio-moradia para se hospedar em outro local.

O então deputado Carlos Martins (PT-PA) alugou um avião no valor de R$ 5.300 para viajar no dia 17 de janeiro. O destino da viagem não foi informado na nota fiscal. O deputado também gastou R$ 4.500 da Casa para alugar, por duas vezes, um barco.

O maior gasto entre todos os suplentes foi o do então deputado Márcio Junqueira (Pros-RR), que gastou R$ 35 mil com “divulgação da atividade parlamentar”. O serviço não teve nota fiscal disponibilizada para consulta. Nesse período, o deputado só usou passagem aérea da Casa por uma vez, dia 7 de janeiro, e não teria viajado mais à capital federal.

Rose de Sousa

O deputado Marcelinho Carioca (PSB-SP) também usou seu mandato para viajar pelo interior de São Paulo. Em uma das viagens, de 8 a 10 de janeiro, ele se hospedou em um resort, com diária superior a R$ 300. O ex-deputado foi um dos que recebeu auxílio-moradia.

Confira os gastos no m~es de janeiro de 2015 da suplente do RN, Rose de Sousa, irmã da ex-prefeita, Micarla de Sousa que assumiu na vada do ex-deputado, Paulo Wagner que aposentou-se por invalidez:

COMBUSTÍVEIS E LUBRIFICANTES. R$ 880,18
DIVULGAÇÃO DA ATIVIDADE PARLAMENTAR. R$ 6.850,00
Emissão Bilhete Aéreo * R$ 1.782,55
FORNECIMENTO DE ALIMENTAÇÃO DO PARLAMENTAR R$ 583,73
MANUTENÇÃO DE ESCRITÓRIO DE APOIO À ATIVIDADE PARLAMENTAR R$ 600,00
SERVIÇO DE TÁXI, PEDÁGIO E ESTACIONAMENTO R$ 1.486,00
SERVIÇOS POSTAIS R$ 18,58
TELEFONIA R$ 227,46
TOTAL R$ 12.428,50
Facebook Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *