Ministério Público Federal diz que proposta do deputado saco preto Rogério Marinho “subverte a ordem constitucional”

Rogério com Rosalba

O Ministério Público Federal encaminhou ao Congresso Nacional nota técnica em que considera”inconstitucional” proposta de incluir a proposta do deputado saco preto Rogério Marinho no programa Escola Sem Partido na Lei de Diretrizes e Bases da Educação.

A proposta prevê a “neutralidade” dos professores, limitando que os docentes exponham sua opinião política, por exemplo, nas salas de aula. Haveria ainda canais de reclamações para que alunos e famílias denunciem professores que estejam em desacordo com o texto.

Segundo a procuradora dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, a iniciativa “subverte” a ordem constitucional   : impede o pluralismo de ideias e de concepções pedagógicas, nega a liberdade de cátedra e a possibilidade ampla de aprendizagem, e contraria a laicidade do Estado, por permitir no espaço público da escola visões morais e religiosas particulares.

 

Facebook Comments