Em pronunciamento, Temer se compara a Tiradentes

UOL

Investigado em inquérito no STF (Supremo Tribunal Federal), o presidente Michel Temer (MDB) se compara, em pronunciamento em rede nacional de televisão e rádio transmitida na noite desta sexta-feira (20), ao líder da Inconfidência Mineira, Joaquim José da Silva Xavier, mais conhecido como Tiradentes, e critica quem acha ser “fácil bater” nele.

Temer gravou a fala nesta semana em razão das datas comemorativas que ocorrerão nos próximos dias. Neste sábado, é feriado de Dia de Tiradentes, comemorado todo 21 de abril. No domingo, 22 de abril, se comemora o descobrimento do Brasil.

Que nesse 21 de abril, lembremos que Tiradentes foi acusado e condenado por lutar e defender um Brasil livre, forte e independente. Ao final, a história lhe deu a vitória maior. Seu exemplo de luta é exemplo para todos nós que trabalhamos para trazer mais conquistas ao Brasil.”

Michel Temer, presidente

Michel Temer começa a fala citando poema de Cecília Meireles sobre a Inconfidência Mineira para, segundo ele, falar sobre liberdade. O presidente então explica que, mais do que o sonhado pelos inconfidentes, hoje há liberdade da “democracia, do direito de ir e vir, de pensar e expressar-se”, além da liberdade de imprensa.

Neste momento, porém, pondera que a liberdade pessoal não pode incorrer em prejuízo a outra pessoa e defende que o Brasil é mais bem visto no exterior do que pela própria população.

“Desrespeitá-la [a Constituição] é criar insegurança e instabilidade entre pessoas e instituições. Nas viagens internacionais, tenho verificado que o Brasil é sempre muito prestigiado e muito bem visto pelas nações estrangeiras. Essa visão externa positiva e otimista não coincide com o Brasil que alguns propagam internamente”, fala.

“É fácil bater no Michel Temer! É fácil bater no governo, é fácil só criticar. Quero ver fazer. Quero ver conquistar! Quero ver construir e realizar o que nós conseguimos avançar em tão pouco tempo. A torcida organizada pelo fracasso tenta bater bumbo. Tenta perder o jogo todos os dias. A verdade é que o Brasil virou esse jogo”, defende.

Em seguida, faz uma defesa de atos e resultados ao longo de sua gestão, a completar dois anos em maio. Para ele, “muitos teimam em não perceber a mudança”. Como exemplo, cita a queda da inflação e dos juros, e afirma ter havido um aumento do crédito e do poder de compra.

 

Facebook Comments
Facebook